terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Coerência pra quê?


















Coerência pra quê? 
Esta tem sido a frase que mais ouço / leio por aí, basta alguém demonstrar qualquer mudança de atitude ou opinião. A "coerência" para mim parece muito mais uma prisão ou desculpa para se alienar e não evoluir.

"Nossa, mas fulana era tãããão católica, como pode de repente 'ter virado' pagã?"; "Hum... Fulana 'se dizia' tãããão evangélica e agora está 'bancando' a ateia", "Você vai deixar a bruxaria para 'virar' crente, como pode isso?" (acabei de ver isso em um grupo de bruxaria), "Ué... Fulano não gostava tanto daquele curso, resolveu mudar por quê?" "Eles se separaram? Não acredito! Parecia um casal tão feliz..."; "Como? Fulano agora é de esquerda ou 'virou' coxinha?" Estes são só alguns exemplos das frases com que me deparo e muitas acompanhadas de um sarcástico "Quem diria..."



O mais estranho da cobrança da coerência é perceber que as pessoas que a exigem são as primeiras a apontarem o dedo impetuosamente, cobrando que as demais reconheçam seus erros. Ué... Se alguém errou, se arrependeu e resolve mudar, torna-se, nesta lógica, uma pessoa totalmente incoerente! Afinal, "coerência é tudo" e ser coerente é significado de ser irredutível.
Quem defende a teoria da coerência automaticamente não admite que pessoas e situações possam mudar. E automaticamente, não pode crer no perdão e no progresso. Muito menos cobrar que lhe perdoe ou o que quer que seja de alguém.
Aliviada e com orgulho, afirmo: Não tenho o menor compromisso com essa tal coerência aí. Nunca fomos íntimas. Sou tão descompromissada com a mesma que já cheguei a detestar legumes e verduras e hoje não vivo sem brócolis. Só para vocês terem ridiculamente uma vaga ideia, porque claro, quem me conhece sabe que vou muito mais além do além que alguém possa imaginar.
Nada que eu decido mudar, me arrependo. Quando surgem as experiências, sejam elas boas ou ruins, cotidianas ou marcantes, sem exceção me trazem sabedoria. Aprendo com tudo e todos a cada dia que acordo neste planeta. Não me envergonho nem um pouco de mudar de estilo, de crença, de ideia, ideais... 
Mudo muito, mudo tudo. Mudo muito e tudo mesmo! 
Não existe nada mais fantástico do que viver cada dia de uma vez e não saber o que esperar por ele! 
Nada como viver eternamente no imprevisível.




E diante dos fatos, deixo o questionamento para a vida: 

Coerência pra quê?



Mi F. Colmán


Algumas notas


- Sou e continuarei por tempo indeterminado sendo a blogueira que responde a cada comentário. Mas... no atual momento, alguns comentários já ficaram obsoletos e certamente seria uma grande perda de tempo respondê-los. Sem contar que isso atrasaria (ainda mais!) minha presença aos vossos espaços. Por este motivo, resolvi dar prosseguimento ao hábito a partir do post anterior.

- Tenho recebido sugestões inbox para as mudanças que pretendo fazer em relação ao conteúdo do Rivotril com Coca-Cola. Todas as sugestões estão sendo lidas com muito carinho e, se acatadas, podem resultar em um segundo blog. Não que o Rivotril tenha compromisso com a coerência, mas mudaria totalmente sua proposta com o que algumas meninas tem me pedido.

- Muito obrigada de coração a todos vocês que acompanharam minha trajetória estudantil de 2015 e me apoiaram! É com muita alegria e orgulho que anuncio minha 3º posição no curso de Pedagogia pela Federal! Uhuuuul! \0/ 

- Finalizando as notas, fica registrado meu agradecimento especial à querida colega e amiga Roselia Bezerra, que me presenteou com um belíssimo cartão de Natal, o qual só pude agradecer agora por motivos de... Sou uma preguiçosa para abrir caixa postal. Valeu Roselia! Te adoro muitão!

E vamo que vamo! A gente se vê! ;) 



terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Feliz Ano Velho

Começando o ano com a primeira atitude de passar vergonha com estes rabiscos coragem e desejar um Feliz 2016 mostrando a minha própria letra.

Oi genteeeee!!! 
Depois de um tempão com a placa mãe dentro de uma estufa, eis que meu laptop ressuscitou ao 4º dia e me trouxe de volta à blogosfera, junto de vocês. Uhuuuuullll!!! \0/


Respirando fundo... Contendo a empolgação.



Como perceberam pela primeira imagem (espero que não tenha chocado muito), resolvi entrar 2016 sem medo de pagar micão ser feliz! hahahaha!

Bom... Eu prometi a mim mesma e decidi que não ia fazer textão (sei que maioria da galera da internet DETESTA textão), mas como eu sou eu e quem conhece a Mi sabe como isso é dificílimo de acontecer, portanto esta decisão foi...



Sem enrolação e tentando sinceramente fazer com que este post não se torne imenso, usei o título do livro do Marcelo Rubens Paiva (super recomendo para quem ainda não leu) para lacrar o ano de 2015 e inicar o de 2016.
Felizmente, é impossível entrar em 2016 sem relembrar tudo o que aconteceu em 2015. O ano que passou foi para mim de tantas mudanças, superações e transformações que posso dizer com total propriedade que foi o ano mais dureza, mas também o mais gratificante e agitado que já tive em minha vida.
Em 2015 EU NÃO CONSEGUI SENTIR TÉDIO! (a cor atual do meu cabelo reflete isso, eu tinha que colocá-la aqui, rs). E para quem me conhece, sabe o quão difícil é esta proeza!
Ultrapassei obstáculos que em 2014 nem sonharia ultrapassar, venci barreiras em meu cotidano que considerava antes impossíveis e sei que ao contrário de muita gente que prefere ouvir falar do capeta do que de 2015, seria injusto dizer que tenho sérias reclamações dele e que não ficará marcado para o resto de minha vida.
Conheci tantas pessoas interessantes no ano que passou, tanto real quanto virtualmente (não posso deixar de lembrar que 2015 foi o ano do Rivotril com Coca-Cola!!! Aeeeeeee!) e que já se tornaram parte bem importante da minha vida. Tenho certeza que uma boa parte dessas pessoas estão lendo esse texto agora (que sei, já virou textão! Fail!). E tive tantas experiências, algumas extremamente malucas e corajosas, que fecho 2015 com um enoooorme orgulho de mim mesma. Claro que como todos tive meus problemas (alguns bem sérios) e continuo tendo, porém, sem querer bancar a good vibes, não vejo muito sentido em contabilizar só coisas difíceis e ruins, até porque comparado a tudo de bom e transformador que me aconteceu, saem perdendo e perdendo feio!

O que será de 2016? 



Não sou uma pessoa de traçar metas de virada de ano e nem estou agoniada em querer apressá-lo. Vou deixar acontecer. Tenho, por hora, apenas refletido sobre algumas mudanças no meu blog. 
Não, ainda não será o ano que pagarei por domínio ou layout (francamente acho que isso nunca vai acontecer), até porque, geral está me incentivando a um canal no Youtube do que continuar investindo aqui, que "já era". A questão é... geral não tem noção do quanto ainda, por enquanto, me é desconfortável gravar vídeos. Nem Snapchat eu tenho! E do quanto de $$$ precisaria investir em um bom equipamento para oferecer a vocês bons vídeos. Na boa gente, cês num tem noção das câmeras podres que possuo, aliás, acho que dá para ter uma certa noção pelas imagens de arquivo pessoal. :P 
Sem pretensão de me alongar (mais), espero que 2015 tenha sido um ano tão proveitoso para todos quanto foi para mim e se a recíproca não for verdadeira, tem 2016 aí adiante. Afinal, mudanças ocorrem em nossas vidas quando a gente menos espera e principalmente, quando batalhamos hard por elas.
Meus mais sinceros votos personalizados de 2016, sabendo que corro o risco de ser zuada por essa letra horrível, a qual tenho absoluta certeza que pode ferrar comigo nas notas de redação por aí afora. rs.
Falando sério, de coração, eu pensei em como iniciar 2016 de um jeito diferente e honesto e lembrei da hashtag #ALetraDasPessoas. Portanto, meus votos a que tenham um ano incrível são tão verdadeiros quanto estas letras são minhas. E elas vieram de uma tarde TODA de trabalho árduo para ficarem "apresentáveis" (detalhe para a folha amassada de tanto treino).
Apesar de geral falando contra, não via a hora de retornar.
E retornei no segundo dia útil do ano, em plenas férias e em tempo para colocar tudo em dia e atualizar aqui, mesmo com muitos mais contras do que prós da geral. Mas geral não viu que já atingi 100 pessoas! E isso me deixa muuuito feliz! Vejo que estamos indo muito bem, obrigada. :)))))
Grata pela consideração das pessoas que me leem e me seguem, pretendo a partir de agora ser mais presente e ativa na blogosfera. Um de meus planos (que nem faço, mas não quer dizer que não me vem alguns na cabeça) para 2016 é investir pesado na Literatura e o blog não pode ficar de fora.

Tudo de bom para vocês. Saudades infinitas. Fiquem bem!




Mi F. Colmán

Para finalizar, na verdade começar, com chave de ouro, deixo uma das músicas que não saem dos meus fones.

"Eu vou viver como se não houvesse amanhã, como se não houvesse amanhã..." ♫♫♫

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Enquanto eu estiver por aqui e me for possível, escrever continuará sendo a medicação mais forte e a terapia mais eficaz para a minha sobrevivência". Mi F. Colmán

Quem ri por último, Rivotril

Quem ri por último, Rivotril
Mais um Rivotril. O restinho dos ratos gritando somem. O restinho das pombas macabras somem. O restinho dos corvos somem. Todos para longe. Lá vai a mulher que assusta. Tati Bernardi.