19/01/2016

Coerência pra quê?


















Coerência pra quê? 
Esta tem sido a frase que mais ouço / leio por aí, basta alguém demonstrar qualquer mudança de atitude ou opinião. A "coerência" para mim parece muito mais uma prisão ou desculpa para se alienar e não evoluir.

"Nossa, mas fulana era tãããão católica, como pode de repente 'ter virado' pagã?"; "Hum... Fulana 'se dizia' tãããão evangélica e agora está 'bancando' a ateia", "Você vai deixar a bruxaria para 'virar' crente, como pode isso?" (acabei de ver isso em um grupo de bruxaria), "Ué... Fulano não gostava tanto daquele curso, resolveu mudar por quê?" "Eles se separaram? Não acredito! Parecia um casal tão feliz..."; "Como? Fulano agora é de esquerda ou 'virou' coxinha?" Estes são só alguns exemplos das frases com que me deparo e muitas acompanhadas de um sarcástico "Quem diria..."



O mais estranho da cobrança da coerência é perceber que as pessoas que a exigem são as primeiras a apontarem o dedo impetuosamente, cobrando que as demais reconheçam seus erros. Ué... Se alguém errou, se arrependeu e resolve mudar, torna-se, nesta lógica, uma pessoa totalmente incoerente! Afinal, "coerência é tudo" e ser coerente é significado de ser irredutível.
Quem defende a teoria da coerência automaticamente não admite que pessoas e situações possam mudar. E automaticamente, não pode crer no perdão e no progresso. Muito menos cobrar que lhe perdoe ou o que quer que seja de alguém.
Aliviada e com orgulho, afirmo: Não tenho o menor compromisso com essa tal coerência aí. Nunca fomos íntimas. Sou tão descompromissada com a mesma que já cheguei a detestar legumes e verduras e hoje não vivo sem brócolis. Só para vocês terem ridiculamente uma vaga ideia, porque claro, quem me conhece sabe que vou muito mais além do além que alguém possa imaginar.
Nada que eu decido mudar, me arrependo. Quando surgem as experiências, sejam elas boas ou ruins, cotidianas ou marcantes, sem exceção me trazem sabedoria. Aprendo com tudo e todos a cada dia que acordo neste planeta. Não me envergonho nem um pouco de mudar de estilo, de crença, de ideia, ideais... 
Mudo muito, mudo tudo. Mudo muito e tudo mesmo! 
Não existe nada mais fantástico do que viver cada dia de uma vez e não saber o que esperar por ele! 
Nada como viver eternamente no imprevisível.




E diante dos fatos, deixo o questionamento para a vida: 

Coerência pra quê?



Mi F. Colmán


Algumas notas


- Sou e continuarei por tempo indeterminado sendo a blogueira que responde a cada comentário. Mas... no atual momento, alguns comentários já ficaram obsoletos e certamente seria uma grande perda de tempo respondê-los. Sem contar que isso atrasaria (ainda mais!) minha presença aos vossos espaços. Por este motivo, resolvi dar prosseguimento ao hábito a partir do post anterior.

- Tenho recebido sugestões inbox para as mudanças que pretendo fazer em relação ao conteúdo do Rivotril com Coca-Cola. Todas as sugestões estão sendo lidas com muito carinho e, se acatadas, podem resultar em um segundo blog. Não que o Rivotril tenha compromisso com a coerência, mas mudaria totalmente sua proposta com o que algumas meninas tem me pedido.

- Muito obrigada de coração a todos vocês que acompanharam minha trajetória estudantil de 2015 e me apoiaram! É com muita alegria e orgulho que anuncio minha 3º posição no curso de Pedagogia pela Federal! Uhuuuul! \0/ 

- Finalizando as notas, fica registrado meu agradecimento especial à querida colega e amiga Roselia Bezerra, que me presenteou com um belíssimo cartão de Natal, o qual só pude agradecer agora por motivos de... Sou uma preguiçosa para abrir caixa postal. Valeu Roselia! Te adoro muitão!

E vamo que vamo! A gente se vê! ;) 




I´m bleeding, quietly living I´m living, quietly bleeding - Dominik
 renata massa