12/05/2015

Os números de Grabovoi































Quase todos os dias sou "apresentada" a um novo grupo no Facebook. Acredito que isso seja normal aos que têm mais de 500 contatos na lista. Os amigos não precisam de autorização para te incluírem neles, algo que acho muito chato e devia ser corrigido, pois direto tenho que sair de algum. Grupos que geralmente me passam despercebidos: Literatura, culinária, artesanato, OVNIs...
Mas semana passada, me deparei com algo que considerei, no mínimo, curioso. Pessoas postavam fotos de dinheiro com umas sequências de números e comentavam algo como: ativo, recebo, mereço, agradeço...
Teria passado batido se não tivesse o maior flood na minha timeline. Eram posts e posts com praticamente o mesmo conteúdo e aquelas sequências numéricas que me aguçaram a curiosidade.



Já tinha conhecimento da "famosa" Lei da Atração antes de "O Segredo", quando tive acesso, ainda na infância, ao livro O Poder do Subconsciente de Joseph Murphy. Na época achei o máximo, porém, o assunto foi enterrado quando um professor, mestre em Física (e por incrível que pareça, não cético) afirmou que não havia nenhuma ligação cientificamente comprovada com a Física Quântica como os autores insistiam em dizer.
Voltando ao que me chamou a atenção e percebi ser algo semelhante ao "Segredo", entrei em grupos fechados para saber mais sobre essa "novidade".
Descobri que era uma teoria onde sequências numéricas das mais variadas, prometiam coisas perigosas como a cura da AIDS, do câncer, regeneração de órgãos e DNA. Esses códigos são usados como um mantra ou de outras formas estranhas como escritos à caneta em qualquer parte dolorida do corpo, ou até mesmo colada num pedaço de papel em uma garrafa d´água para o doente beber.
Investigadora nata que sou, baixei os livros e comecei a ler a respeito. Nada convincente. Muito mais esotérico do que científico. Piorou quando busquei o autor da façanha cujo nome é Grigory Grabovoy(ou Grabovoi).
Grigori Petrovisch Grabovoy é um cientista (!) que nasceu no Cazaquistão, mas foi criado na Rússia, país em que foi condenado na década passada há 11 anos de prisão por estelionato. Grabovoy prometeu às mães das crianças falecidas no massacre de Beslan, a ressurreição das mesmas através do seu método numérico, em troca, óbvio, de dinheiro. Cobrou 1.300 euros pelas reuniões. 
Apresentando-se como o 2º Advento de Cristo na Terra (oh, really???) realizava concentrações massivas de até 500 pessoas, se transformando no líder de uma grande seita com ideias neo-pagãs.
Apesar do veredito e de todas as evidências, seus seguidores, principalmente pessoas de mais idade, continuaram acreditando na teoria de Grabovoy e considerando sua condenação injusta.



Ultimamente pouca coisa tem conseguido me surpreender, no entanto, o que considerei meio assustador foi ver que aqui no Brasil há muitos seguidores desse cara. Pessoas que, em troca de um pouco de alívio aos seus desesperos, atropelam a criticidade e ficam "ativando" códigos, confiando cegamente na teoria de um cara que não a toa ficou 11 anos preso.
Onde foi parar o senso crítico das pessoas? Por que vemos inúmeros sites nacionais divulgando esses "números de Grabovoi" como Ciência (!!!) e pouquíssimos divulgando a real? 
Fico pasma com essas coisas, só de ficar lendo sequências de números e pessoas "ativando, recebendo, agradecendo" já me senti uma completa retardada, quanto mais seguir tais preceitos!
Acredito (na verdade, tento acreditar) que exista a tal da Lei do Retorno, que pensamentos positivos podem nos auxiliar produzindo endorfina em nossos cérebros e, consequentemente, tornando-nos mais produtivos e firmes em nossos objetivos.
O que eu me pergunto (ainda não pesquisei) se na Europa este cara possui toda essa popularidade que vi no Facebook, onde pessoas entregam seu tempo precioso (e suas vidas) repetindo feito robôs as ideias estapafúrdias deste elemento. E por quanto tempo as pessoas continuarão com vendas nos olhos deturpando a reputação da verdadeira Ciência...


Mi F. Colmán


Se quiser ler mais, clique no link.














I´m bleeding, quietly living I´m living, quietly bleeding - Dominik
 renata massa