quarta-feira, 1 de julho de 2015

01 de Julho - Como vão as suas metas e expectativas?


Estou certa de que hoje, o primeiro dia do resto deste ano, seja o momento apropriado para fazer esta pergunta. Seja pelo fato de (talvez) ainda dar tempo de correr atrás do prejuízo ou para aprender a não criar metas praticamente impossíveis de se concretizar.
Hoje é um dia de reflexão para quem traçou metas no início de 2015.
Uma de tantas das psicólogas que tentaram praticar psicoterapia comigo (e se lascaram, hehehe) me ensinou a criar metas, com prazos estipulados e tudo. E por um bom tempo fui uma pessoa de metas. 
O resultado: deu em merda.
Aliás, percebo que sempre que se criam muitas metas, são criadas também enormes expectativas e frustrações.

"Estabeleço metas realistas e mantenho o foco nelas. Um passo de cada vez. Não consigo imaginar nenhuma outra maneira de realizar algo.” Michael Jordan.

Eu nunca entendi direito metas realistas e percebo que somente agora estou aprendendo a lidar com elas.
Este ano em especial, criei um cronograma de estudos perfeito: 8 horas por dia + as 4 horas de cursinho noturno + 1 hora após o cursinho para fazer a revisão das matérias. Blogs e Literatura somente aos domingos ou feriados e... 
Claro, deu em merda.
Funcionou nas primeiras semanas. Até perceber que estava exausta, irritada, sem me alimentar direito, sem tempo para as pessoas que amo, com concentração baixa e assimilando bem pouco do conteúdo estudado. 
Óbvio, não é o meu ritmo. 
Não estou estudando para uma vaga em Medicina na Federal para ter um cronograma pesado como este. Aliás, não estou sequer criando expectativas com relação a entrar em uma faculdade ano que vem com o ENEM e vestibulares que pretendo prestar, então... pra que tanto?

















Não posso e não quero viver com esta carga toda. Deixei minha família e meus amigos a par da situação. Estou dando o melhor de mim, embora pudesse dar mais ainda. Porém, como procrastinei janeiro e fevereiro todos e a "Tia Dilma" não está dando moleza para a Educação (vide a situação FIES), encararei os vestibulares e particularmente o ENEM (que até onde sei sempre foi em novembro, nos "comeram" um mês marcando as provas para outubro este ano) com uma meta realista: como uma treineira. 
Se der certo, ótimo, ficarei muito feliz. Se não der certo, o mundo não vai acabar e será das outras vezes. 
Sim, vezes. Não penso que em minha vida as coisas boas possam ter apenas uma chance de acontecer, ciente de que poderei tentar várias. Com isso, ganha-se experiência.
Não traço mais planos, seja de estudos, de viagem e jogo fora a ideia autocrítica de que tudo depende de mim. Pessoal, nem tudo que acontece em nossas vidas depende da gente! Muitas vezes precisamos do aval de um outro alguém, precisamos uns dos outros ou de algumas circunstâncias. Vamos viver o momento presente e deixar o fardo mais leve.
Parando para refletir, este ano foi o ano que proferi com veemência e ira a frase: "Nunca mais planejo nada!" devido a uma viagem de férias de julho que planejei desde o início do ano e não deu certo por conta de uma séria infecção no ouvido que me fez adiá-la. Não dá para viajar de avião nestas condições. 
Viram que a viagem não dependia só de mim? Minha (falta de) saúde repentina está aqui para confirmar isto.
Mas quer saber? Não é este infortúnio que irá destruir minhas férias. Vou viajar para cidades próximas onde aguento poucas horas de ônibus com Dramin, ir ao cinema, estamos combinando algumas coisas entre amigos do cursinho que também não poderão viajar, vamos comer muitas roasted potatoes picantes, tomar chopp, dar risadas, ter as férias que merecemos ter, dentro de nossas possibilidades. Enxergar as possibilidades, ver as coisas sobre outro prisma é que faz toda a diferença em nossas vidas.
Se paro para refletir nas coisas incríveis que aconteceram comigo até agora em 2015, percebo que nenhuma delas foi planejada. 
Passei com 90% de aproveitamento em um curso de Assistente Administrativo que me inscrevi por impulso e mal estudei. Tive uma noite show e inusitada na quarta-feira santa (vejam, quarta-feira santa! Se fossem metas traçadas com certeza a Páscoa seria a data escolhida), comecei "do nada" a escrever uma nova obra gótica há umas madrugadas atrás e que tenho certeza que agradará a muitos que curtem o gênero. Ontem mesmo recebi um convite que me deixou lisonjeada de uma blogueira veterana que reconheceu meu trabalho e nada como ter o trabalho reconhecido. Comprei coisas que não planejava comprar e estou muito satisfeita com todas elas, ganhei um sorteio (milagreeeeeeeeeeeeee!!!), fui impactada com a revelação de uma colega (colega, não amiga!) que se sentiu à vontade para desabafar um segredo inconfessável, demonstrando que passo às pessoas a pessoa de confiança que sou, enfim... Estas são só algumas das tantas outras coisas boas que me aconteceram nestes poucos seis meses e que tenho profunda gratidão.
Tudo, tudo sem planejamentos ou expectativas.

Trace suas metas se desejar, tenho certeza que muitos já o fizeram, mas analise-as se não são exageradas como o meu cronograma estudantil. Não tenha medo de voltar atrás. Não tenha medo de mudar de ideia ou do que for preciso mudar.




















"A vida é fácil, difícil são as expectativas que você cria para ela". Willian Brito 

Não estou aconselhando que se viva a esmo, mas com a mente mais desfocada do passado e do futuro e mais focada no presente que, se não fosse especial, não levaria este nome. Frazesinha clichê da porra mas que faz sentido.

Meteu o pé na jaca na dieta estipulada? Uma pessoa que você jamais imaginava te decepcionou? Algo que planejou simplesmente não tem como ser feito agora? Alguma coisa está te desanimando? Simplesmente...
















Não tenha medo de viver. Simplesmente viva. É no instante do "de repente", ou seja, quando menos se espera, que as coisas na vida dão muito certo. E não na ponta do lápis.


Mi F. Colmán

49 comentários:

  1. Eu planejo bem pouco. O básico, tipo o dia da matrícula das crianças na escola, senão...
    Há pessoas que se adequam a uma rotina pré-estabelicida, outras não. Estou no segundo caso e gosto de ser surpreendida pela vida no lado bom. No aspecto ruim ela também surpreende e aí resta aprender a lidar com isso, ou somente chorar e permitir ao tempo fazer o remendo.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! :))))
      Também estou no segundo caso, mas olha, levou um tempo para que eu chegasse até ele. Uma psicóloga quase (!) fez lavagem cerebral em mim, huahuahuahauahau!
      Mas de boa, a vida é a melhor professora, a melhor psicóloga e acaba nos ensinando e nos orientando em tudo, basta termos um olhar perceptivo.
      Acho que foi me surpreendendo pelo lado ruim que aprendi a ser o que sou hoje, o que significa que tudo tem seu lado positivo. Não somos apenas prótons ou elétrons, para existir equilíbrio precisamos tanto de cargas negativas quanto positivas. Ficar só chorando e esperando o tempo remendar, rola não. É preciso lidar e reagir com tudo, por mais difícil que pareça.
      Beijos.

      Excluir
  2. Saudações MI! Olha.. eu concordo com você, mas acho que somente precisamos de DISCIPLINA para atingir objetivos. Eu mesma, passei por varias psicoterapias e só aos 33 encontrei um metodo que me ajudou a não cobrar de mim coisas que nao dependem de mim. Acho que meu aprendizado esses anos todo foi: DISCIPLINA É TUDO!!! Se você ver o começo de meu blogue eu determinava objetivos e traçava minhas metas, simples.... e que só consegui realizar as que eram em meu alcance. Parei de tentar sempre morder a bunda da lua, porque todos cobravam muito de mim e eu permitia que me jogassem sacos e sacos de responsabilidade e ainda assim não estava bom... tem ate um desabafo em meu blog que fiz recentemente... o melhor de tudo é nos encontrar... e pelo jeito, você encontrou sua formula para conseguir realizar o que desejas. Conhece te a ti mesmo!!! Beijos e abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! Tudo bem Ex Não Vaidosa?
      Caraca... Até agora não descobri teu nome ou tu não quer ser descoberta. Se for o segundo caso, peço desculpas e saiba que te respeito. Também já "naveguei" no obscuro. rs.
      Minha questão é que sou uma pessoa indisciplinada por natureza, mas sabe, nem sempre isto é mau.
      Quando aprendi a digitar, não consegui seguir aqueles exercícios pré-estabelecidos e quando percebi já estava digitando meus livros no meu pc sem qualquer ajuda. Acho que a minha indisciplina me fez descobrir ser uma autodidata por natureza e isso não pode, de modo algum, ser ruim.
      Mas entendo que há pessoas que precisam sim, seguir um cronograma ou um plano à risca, talvez porque sejam mais indisciplinadas do que eu e só funcionam sob pressão. Eu, sob pressão, sou uma catástrofe! Por isso preciso de um tempo para ser treineira mesmo nessa parada de ENEM e vestibulares. Se eu for com alguma intenção a mais, eu surto.
      Adorei a expressão "morder a bunda da lua", hahahaha! Mas é bem isso, temos que ter metas realistas e só agora estou aprendendo como fazê-las.
      Quero ler teu desabafo, em breve estarei te visitando.
      Beijos.

      Excluir
  3. Mi, achei esse seu post maravilhoso. E digo pra voce que sou um eterno aprendiz e também adepto do LIGAR O FODA-SE.Quanto às metas, eu penso que sejam importantes, nao tanto pela cobrança a que nos impomos, mas apenas para sinalizar um caminho, um percurso. Eu, que trabalho com obras, costumo falar que cronograma de obra - e suas metas - não são para serem cumpridos, apenas perseguidos....Então, essa questão de metas é apenas uma bussola para indicar o caminho. Mas cada caminho vai ter seus percalços, suas lombadas, suas curvas, suas paisagens...enfim, temos que ter um GPS, nos falando sempre " recalculando a rota". Quanto ao blog, vou postar de novo o link:http://www.ideiasdarquitetura.blogspot.com.br/, se não der certo, me avise, ok? Espero voce lá, para amadrinhar esse novo blog tb. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renato! Fico feliz que tenha gostado do post! Acho que ele é bem esclarecedor de como tenho lidado com isso de metas e talvez ajude algumas pessoas a "desopilarem" um pouco. Eu vejo pessoas se cobrando demais! Sendo severas consigo mesmas demais e isso não faz bem de jeito nenhum.
      Claro que há casos que não podemos escapar das metas, como o caso citado de uma obra em construção, porém, sendo realista, é desse jeito que descreveu, usando-a como uma bússola e não como um fim. Tudo está propício à mudanças de última hora e quem vive uma disciplina muito rígida, pode não saber lidar com os percalços e imprevistos, seja no que for.
      Amigo, simplesmente AMEI teu novo blog e estou "me achando" em tu me considerar madrinha dos teus blogs. Estou me sentindo uma fada madrinha estilo a Malévola! huahahuahuhahau! Ela é bem mais a minha cara, né? Mas sérião mesmo, está muito show. E eu só não achei porque da vez passada faltou um "s" no link que me passou, por isso deu blog não encontrado. Mas agora está tudo nos conformes, já estou adorando acompanhá-lo. ;)
      Beijos.

      Excluir
    2. Mi, sinceramente, não esperava que voce fosse outro tipo de fada madrinha , que não ela...rsrsrsrsr Sou Muito grato a voce pelo empurrão que me deu. Escrever para mim tem sido uma viagem, um exercicio de minha sensibilidade e tem me feito muito bem. bjs

      Excluir
    3. Hahahaha! Adoro a Malévola! É minha "ídola" da Disney. :P
      Renato, eu é que fico grata ao ler teu comentário! Não imagina o quanto me faz bem saber que pude, de algum modo, incentivá-lo em teu processo criativo.
      Tu escreves super bem e tem mais que seguir adiante meeeesmo! Fico muito, muito feliz em saber que está te fazendo bem. Escrever faz muito bem, com certeza e, para quem já tem o dom, é melhor ainda.
      Beijos meu querido.

      Excluir
  4. Mi, eu sempre acho que o melhor é não nos colocar sob nossos ombros muitas metas chatas ou não. Deixar acontecer as coisas. Claro que temos objetivos, mas sem neuras! beijos,tuuuuuuuudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Chica. Acredito que objetivos sem neuras são os mais possíveis de ser alcançados. Porque não existe aquela chatice de pressão nos nossos ombros, daí tudo flui melhor e naturalmente. Algo que flua assim, raramente pode dar errado. Tudo o que fazemos precisa ser feito com boa vontade.
      Beijos e tuuuuuuuuuuudo de bom para ti também, minha querida.

      Excluir
  5. Meninas vou te contar um segredo,não sou boa em cumpri as metas que coloco para mim,fica tudo pela metade.Ah minha filha também esta no mesmo barco que você tentando o FIES,tomará que vocês consiga.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lilian, esse FIES virou uma novela e das mexicanas! rs.
      Eu, particularmente, não acho muito saudável isso de metas não. Temos que ter objetivos claros e saber como chegar até eles, mas sem neuras, como tão bem colocou nossa amiga Chica.
      Beijos.

      Excluir
  6. Oi Mi
    Eu não sou de ficar planejando o que vou fazer. Tenho meus compromissos. A eles são fiel. No mais vivo o presente e procuro não me estressar além do inevitável. Metas? Já faz tempo que não vivo com este paradigma em cima da minha cabeça. Vivo o dia a dia e procuro extrair de cada momento o que ele traz de melhor. E posso te dizer que sou uma pessoa feliz
    Beijos minha amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracita, minha amiga, você falou tudo: paradigma.
      O ser humano, desde a infância, vive de paradigmas e as tais metas não passa de mais um deles.
      Todos temos nossos compromissos e devemos honrá-los, é muito certo, porém, ficar anotando metas e se frustrando depois caso não alcancemos, é torturador. Chega a ser masoquista até.
      Tenho certeza que uma pessoa que vive como tu vive é uma pessoa feliz. :))))
      Beijos.

      Excluir
  7. Minha meta??? SER FELIA!!! As vezes isso dá um trabalhooooo... rs

    Abraços

    Alê
    http://nossoconfessionariopublico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alexandre Felipe, seja muito bem-vindo!
      Essa meta acredito ser a de todos nós, mas alguns complicam e por isso têm tanto trabalho! hahahaha!
      Beijos.

      Excluir
  8. Mi, procuro não estabelecer metas fantásticas para mim.

    Desde que me aposentei, estou desacelerando...e procuro leveza...

    Apenas as viagens mais longas é que recebem mais atenção e planejamento.

    Adorei ler as surpresas deliciosas que a vida te presenteou nesses meses, e a gratidão do seu coração!!

    beijinhos, tenha um dia bem bonito!!

    Lígia e =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lígia! Que bom te ver por aqui de novo! :)
      Ser aposentada neste país é sinônimo de ser felizarda, tenho ouvido cada coisa sobre aposentadoria ultimamente... rs.
      Eu também desacelerei de uns meses para cá, não dá, meter o pé no acelerador muitas vezes nos conduz ao primeiro post e a um desastre. Melhor levar a vida com mais leveza, sem negligenciá-la, é lógico.
      Há coisas sim que precisam de uma maior atenção e planjemaneto, mas nem todas... Ou podemos esperar mais um pouco se não nos sentimos preparadas. Forçar a barra é que não dá. Eu surto.
      A vida foi beeem generosa comigo nestes últimos meses e é impossível viver uma vida sem gratidão. Gratidão é tudo.
      Beijos e um fim de semana bem bonito para ti. =^.^=

      Excluir
    2. Correção básica: poste.
      Estou com post na cabeça por estar na blogosfera, rsrsrs.

      Excluir
  9. Olá!
    Mi, eu só funciono no visual...preciso, necessito de ter algo escrito para que eu possa funcionar, kkkk
    Lógico que a Vida me ensinou e me ensina q. Viver é mais do que isso!
    Mas parei com a paranóia de querer tudo perfeito, pelo menos tento, kkkk
    A Vida se tornou mais leve, e lógico que ainda me atrapalho, e acabo perdendo uns dias para me organizar e voltar a Viver novamente, kkkk
    Cada um tem um ritmo, e o importante é saber respeitar isso!

    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Fã Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério Alê?
      Isso é sinal de ser disciplinada ou indisciplinada?
      Eu interpreto como a segunda hipótese! hahahaha!
      Mas eu entendo, tem gente que só funciona sob pressão, conheço pessoas assim. Como tu bem disse, o importante é saber respeitar o ritmo de cada um. Eu não estava respeitando o meu e quase surtei. De boa, não preciso disso para viver.
      Beijos minha querida.

      Excluir
  10. Ola,
    Gostei bastante do que li.
    Alias o nome do seu blog foi o que me fez
    vir aqui.
    Não tenho metas nem plano.Viajo sem bussola,
    e navego sem portos seguros. A vida pra mim é
    uma grande surpresa.
    Paz e luz
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bandys!
      Não fico surpresa com o que te trouxe aqui, hahahaha! Muita gente curte a fan page apenas pelo nome sem nem ter ideia do que se trata. Mas de boa, eu acho legal, significa que sei escolher bons títulos, que chamam a atenção das pessoas.
      É muito bom viver como tu vive, eu ainda tenho minhas neurazinhas e meus compromissos.
      Paz e luz para ti também!
      Beijos e volte mais vezes se quiser.

      Excluir
  11. Boa noite Mi.
    Amiga vou começar pela fim, amei a imagem final grite foda-se e siga em frente, gostei tanto dessa frase que na próxima postagem vou usar. Muitas vezes é isso mesmo que devemos fazer, que pena não li antes rsrs. Quanto a metas amiga eu faço um certo planejamento, mas concordo plenamente quando mais fazemos, mas acontece imprevisto, depois de ler a sua postagem, vou refletir um pouco mais se fale a pena faze-lo. Um feliz dia. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde amiga Mirtes, é sempre muito bom recebê-la aqui no Rivotril!
      Eu AMEI essa imagem e me identifiquei de cara com ela logo que a vi, huahuahauhauahau!
      Eu penso que metas devam ser realistas, entende? É tortura planejar o que não pode estar em nossas mãos em um curto período de tempo.
      Um feliz fim de semana para ti. :))))
      Beijos.

      Excluir
  12. Mi
    quero te agradecer pelas dicas que me deu la no blog, quanto ao perfil
    Foi o que mais se aproximou do problema, mas eu não alterei o navegador par ao Firefox. Preferi deixar o atual google e usar computadores diferentes.



    Quando eu era mãe em tempo integral eu tinha a neura de planejar o estudo dos filhos.
    Foco, fofo,. foco.
    Logo eu , uma lunática.
    Mas era preciso.

    Metas, planejamentos faz bem para viver e conseguir êxito.
    Mas sem se escravizar, pq na vida nada tem receita, ela acontece !


    bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Zizi! Seja muito bem-vinda!
      Colega, tu não entendeu minha explicação. Tu não tem por que usar dois computadores para lidar com duas contas! Isso é loucura! Um computador suporta dois, três, quatro... quantos navegadores forem necessários! Tu não precisa alterar nenhum padrão.
      Só para citar alguns, tu pode usar o IE, o Firefox, o Chrome, o Opera, o Safari, TODOS eles num só pc e sem afetar nada.
      Espero que volte para reler a resposta, porque é doidera ficar lidando com dois pcs APENAS por essa razão.
      Quanto às metas, nisso de "foco, foco, foco", meu foco quase se tornou um surto. As coisas acontecem quando têm que acontecer, sei de muita gente que manteve tanto foco que na hora deu mó branco e se ferraram.
      Beijos.

      Excluir
    2. Oi voltei!
      entendi! sobre os navegadores. Obrigada
      mas ser seguidora com os dois computadores, ta sendo a solução
      pq ainda nao consegui resolver o lance do login
      bjss

      Excluir
    3. Oi voltei!
      entendi! sobre os navegadores. Obrigada
      mas ser seguidora com os dois computadores, ta sendo a solução
      pq ainda nao consegui resolver o lance do login
      bjss

      Excluir
    4. Oi Zizi! Desculpe dizer, mas tu não entendeu como usar os navegadores. Basta usar um navegador para cada login, ou seja, não tem por que dois pcs.
      Espero que consiga alguém que possa te explicar melhor, não fui feliz no meu intento. rs.
      Beijos.

      Excluir
  13. MI, gostei muito da parte quando você começa a falar das metas e projetos inúteis em que traçamos ao longo de nossas vidas. Fazia isso, também, dei com os burros, mas também cheguei à conclusão que essas cobranças são o que podemos fazer de mais estressante pra nós. Vem frustração, decepção e uma série de coisas que só atrapalham, nada que compense tamanha burrice. Vemos muito isso na troca de ano, esses projetos mirabolantes. Eu fora, faço o dia a dia, o que dá, o que tenho vontade de fazer. O resto empurro até que minha vontade, meu corpo, minha mente se juntem e 'mãos à obra'. Isso é respeito conosco, é viver. E cobranças não é viver, é escravidão.
    Gostei de verdade de ler isso aqui, mostra maturidade. Não gosto de ver gente com projetos e metas se nem sabem como será o dia de amanhã!
    Beijos, amiga, carinho meu.

    * Gostei de você ter postado logo os comentários, responda quando der tempo – simples assim! E se não der, não responda, entenderemos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Taís! Saudades de ti! :)))))
      Adorei teu comentário, foi super sábio e muito a ver de como estou pensando agora.
      Como citei acima para a Zizi, muitas vezes essa cobrança de "foco, foco, foco" nos leva a um surto, a dar os famosos "brancos" na hora da prova de um concurso público ou um vestibular, já vi acontecer com um número considerável de pessoas. E foi com medo disso acontecer que resolvi tirar o pé do acelerador e viver cada dia, cada minuto, mais de boa.
      Eu fiquei impressionada de ver como blogueiras (principalmente blogueiras de blogs sobre dieta) criaram metas mirabolantes! Metas que, para mim, de cara me pareceram absurdas! Não é de se admirar que chegando a metade do ano, os posts são de certa frustração.
      Isso dos comentários ainda sou, como se diz aqui no MS, meio "caxias". Sinto que devo responder a cada um, embora muitos nem voltem para ler. Vejo que tu é mais tranquila quanto a isso e responde o que quer e quando quer. Talvez um dia eu consiga ser uma blogueira assim, por enquanto não consigo. rs.
      Beijos amiga, um ótimo fim de semana para ti.

      Excluir
    2. Tem um senão aí, explico:
      Quando recebo os comentários posto na hora que vejo pelo e-mail, é o que todos os comentaristas gostam de ver, seu comentário postado. É uma deferência do blogueiro que recebe. Muitas vezes, se tenho tempo, respondo na hora; outras deixo acumular no máximo um dia, e respondo todos juntos; e outras vezes (principalmente quando não é de minha autoria não respondo a ninguém), salvo pouquíssimas vezes, quando o assunto dá. Responder sobre o texto de outro não gosto, acho que é interferência minha num texto que não é meu. Me constrange.
      Sou 'caxias' em não demorar para postar o comentário, realmente não é bom. E antes de passar para uma próxima postagem, respondo, pois é legal, muitos gostam de ver e ter suas respostas ainda no 'forninho', isso é, antes do próximo post! É a tal interação. Mas não quero de jeito nenhum que você mude seus hábitos! Cada um, cada qual! Mas se servir de ajuda, fico feliz.
      Beijo, amiga, sempre ótimo estar aqui com você.

      Excluir
    3. Oi Taís, imagina, impor regras às pessoas, para quem te conhece já um pouco como te conheço, nem passará pela cabeça que tu teve essa intenção. Foi um toque de amiga que recebo com muito agrado.
      Esse ritmo de não passar para uma outra postagem, salvo raras exceções, antes de responder a todos é bem raro de acontecer. Já é meu ritmo também.
      Realmente eu estive "pecando" em demorar a moderar os comentários e compreendi a aflição quando uma blogueira reescreveu um pela minha demora achando ser problema de seu computador. Isso me fez acordar e caraca... por mais que o tempo seja escasso em alguns dias, não custa dar uma passada aqui e simplesmente liberar os comentários.
      Já pensei em deixá-los livres, sem moderação. Mas como tenho pavor de spams e escrevi alguns posts polêmicos que podem incitar discursos de ódios de pessoas sem noção, não quero correr o risco de que fiquem expostos aqui.
      Quanto a sua liberdade em responder, percebi já há um tempo que há posts que tu responde a todos, outros que não responde, outros que responde apenas a alguns e são posts seus mesmo. Veja bem, também não é uma crítica, acho que toda blogueira tem a liberdade de fazer o que quiser com seu blog. Ela, melhor que ninguém, conhece seus seguidores e sabe quem os compreende ou não.
      Beijos minha amiga, é sempre ótimo interagir contigo, sempre aprendo muito!

      Excluir
  14. Verdade, Mi,
    O inesperado costuma trazer muitas surpresas agradáveis. Também não gosto da vida na ponta do lápis, pois planos furam, independente de nossos esforços para concretizá-los na forma desejada. Comigo quase sempre aconteceu assim. Até meu marido eu conheci numa noite que não desejava sair e somente o fiz por insistência de uma amiga. Nunca traço metas em finais de ano, como é praxe para muitos. Expectativas em demasia podem ser frustrantes. Claro que tenho objetivos e procuro atingi-los, mas sem ansiedade e confiando sempre na premissa de que tudo tem hora certa para acontecer. Muitas coisas em nossa vida dependem unicamente de nós, mas outras tantas fogem ao nosso controle. Então, vamos viver com maior leveza. Alguns sonhos carregam uma dose de irrealidade. Sonhar é imprescindível para se ter motivação na vida, mas até os sonhos devem passar pelo crivo do bom senso. E acredito que muitas coisas que não alcançamos é porque não eram para ser nossas ou porque não seriam ideais para nós. Seria a mão de Deus interferindo para o nosso bem. Vivamos o presente, emprestando-lhe o valor que merece. A vida urge.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só, Vera! Tua história com teu marido é a prova viva do que eu costumo dizer que as melhores e mais importantes coisas em nossas vidas acontece quando estamos distraídas. rsrsrs.
      Meu problema nem era fazer essas metas típicas de ano novo, era a psicóloga ter me "disciplinado" a criar metas para cada dia, semana, mês... só faltava criar metas para cada hora! E olha que eu fiz meio que isso no meu cronograma estudantil, rsrsrs. Não dá, é loucura.
      Muitas coisas não dependem mesmo de nós e as que dependem, com certeza darão certo, estou bem otimista quanto a isso. Porque só nós conhecemos nossas limitações e podemos ter noção de até onde podemos ir por si próprias, o restante, depende de outras pessoas e das circunstâncias, a gente querendo ou não. Não podemos ter controle sobre tudo.
      Também acredito bastante na interferência da mão de Deus, embora algumas vezes seja difícil compreender Seus planos.
      Beijos e um ótimo fim de semana.

      Excluir
  15. Mi,
    Vou ser bem sincera com vc; já planejei por muitas vezes as metas que eu gostaria de atingir, mas no meio do caminho, falhavam ou as coisas mudavam de rumo. Minha vida sempre foi bem atribulada. Mas, sempre procurei viver o presente de maneira intensa, sou assim até hoje, com uma diferença , já gritei o foda-se há muito tempo! Faço o que desejo, da maneira que eu quero. . My husband já entrou na onda! Não somos mais jovens e viver bem o presente é o que desejamos.
    Amei o seu comentário lá no Blog, apareça sempre, fico super feliz! E quanto a adoção... Rsrsrsrs. Bjs, querida amiga, que Deus te abençoe! Boa noite, isto é, boa madrugada!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, sei bem como é isso e do quanto é frustrante! Acha que não me frustrei quando me dei conta que não ia dar conta daquele cronograma "mirabolante" que criei? Levou um tempo para que eu caísse em mim de que estava cobrando o tempo de estudo de um futuro bicho de Medicina da Federal e olhe lá!
      Minha vida também é bem atribulada e essa é mais uma das razões do porquê eu desisti de me cobrar tanto. Já existem problemas demais para serem resolvidos e ter que arrumar outros pra cabeça.
      Resolvi gritar o Foda-se mesmo, amiga. De boa...
      Hahahahaha! Pode me adotar, já falei que ia achar o máximo isso! Fico feliz que curta meus comentários, também adoooro quando recebo os teus.
      Beijos minha querida, Deus te abençoe muuuito também!
      Uma boa tarde, no caso, rs.
      Até!

      Excluir
  16. Mi,
    Vamos viver a vida da melhor maneira possível. Sem grandes estresses e em paz.
    Meu marido leu que eu queria te adotar e perguntou se vc não tinha país. Claro que tem , eu disse. E como vc quer adota-la? Kkkkkkkkkkkkkkkkkk, to rindo até agora!!! Não sabe de nada, inocente! Rsrsrsrsrs
    Acabei de ler o seu comentário no blog de histórias. Mi, as crs têm imaginação fértil . Elas substituem ou criam seres imaginários, que se tornam até amigos. O importante é que ela seja sempre bem orientada. Se vc parar pra pensar , os contos clássicos para as crianças , são tenebrosos. Bom, esse é um assunto longo. Vou até pensar num post sobre os clássicos infantis. Bjs e uma ótima noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo... O importante eh que elas sejam sempre bem orientadas.
      bjs
      Nao repare , erro mesmo, meu pensamento viaja e a escrita fica, rsrsrsrsrsrsrs.

      Excluir
    2. Amém Lu! É isso aí. O que não pode ser agora, pode ser adiado para mais adiante. Vida que segue.
      Aliás, isso do viver agora me lembrou uma senhora argentina que é amiga da família e todos cobram dieta dela por estar com sobrepeso, inclusive médicos, um deles, seu esposo.
      Quando ela chega aqui em casa, devora meu bolo de chocolate diante da indagação de mammys: "Mas Dora, o médico não te disse que tu não pode comer doces e coisas que engordam?" Ela responde com toda naturalidade e divertimento: "Sí, dijo, pero si me ocurre de salir daqui y me arrolla um autobus..." Traduzindo: "Sim, ele disse, mas e se acontecer de eu sair daqui e um ônibus me atropelar?" Tipo, ela aproveita o momento porque nada é certo nessa vida, se ela sair daqui de casa sem comer sua fatia de bolo de chocolate e um ônibus a atropelar? hahahaha! Parece dramático, mas é engraçado o modo com que ela lida com as coisas. Claro que ela se cuida, sabemos disso, mas dá suas "escapulidas" para viver, entende? Sem grandes estresses.
      Aaaah... Por que tu foi dizer para ele que eu já tinha (essa bela boxxxxxxxxxta) de país? #Magoei hahahahahahaha!
      Guria... Nem me fale nesses contos tenebrosos. Certa vez tive que fazer um trabalho para uma estudante de Pedagogia quando ainda cursava o Ensino Médio (sim, eu faço isso para tirar uns trocos dos preguiçosos, como eles apresentam para a banca, não me pergunte) e fiquei arrepiada com as histórias. Eu só não digo que acabou com minha infância porque nunca fui apegada a estorinhas infantis, mas caso eu fosse, teria sido traumático! Sei bem do que está falando. rs. E, lógico, quem sou eu para discutir Pedagogia contigo, foi tão somente uma indagação.
      Beijos minha querida amiga, uma ótima noite para ti!

      Excluir
    3. Mi,.
      Ela esta certa! Sabe , o meu marido compra roupas e as vezes quer guardar para usa-las em ocasioes especiais.( coisas de velhinho, rsrsrsrs). Nao deixo! Tem que usar, vc nao sabe o o dia de amanha.
      Ha, ha, ha! Vem nas ferias, por aqui! Acredito que eu va ao Brasil, nao posso afirmar, eu sei que vou, quando nao sei, kkkkkkk. Que confusao!!! Vamos nos falar, ok?
      E as musicas infantis? E as de ninar? Socorro!!! Sao horrorosas!!!
      Bjs, Mi! Durma bem!! lembra dessa? Boi, boi, boi. Boi da cara preta... rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

      Excluir
    4. Oi Lu!
      E não é? Ela não leva tudo a ferro e fogo não e acredito que nem nós devemos fazer isso. Guardar roupas para que, né? Temos que aproveitar aquilo que a gente compra, minha mãe é meio assim também, de guardar as coisas novas e ficar usando as velhas, mas isso em utensílios de cozinha.
      Hahahaha, se eu morasse onde mora, acho que não ia sentir a menor falta do Brasil. Quem me dera passar as férias aí, tenho $ não! rs.
      Quanto às músicas infantis, agora tu me fez lembrar de um meme hilário que vi no Facebook no Dia dos Namorados:

      "Aí você cresce e nem o boi da cara preta quer te pegar..." hahahahhahahaha!

      Mas é sério, se pararmos para analisar as músicas infantis é tudo meio sinistro. Que nem a atirei o pau no gato, as pessoas cantam só a primeira parte para as crianças. Fui descobrir que havia uma segunda parte (talvez adaptada) quando fiz um trabalho de Pedagogia para uma universitária.
      Beijos Lu, nos falamos!
      Tenha um excelente domingo!

      Excluir
  17. Basta que eu crie metas para em seguida abandona-las... Concordo integralmente com seu post... Dei saltos duplos, triplos quando li "Opinião só não muda quem não tem." Sempre digo que não estou concorrendo ao troféu de "A coerente do ano", quando percebo que uma coisa não está fazendo bem pulo fora, mudo... E como você disse, não é questão de viver a esmo é não viver sobre pressão é viver o hoje da melhor forma, o hoje é o pai do amanhã e filho do ontem, a medida que eu vivo bem meu hoje e faço as coisas que preciso fazer asseguro meu amanhã.

    E para o desfecho do seu post eu digo um sonoro Amém!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pandora! Muito feliz em te ver aqui de novo! :)))))
      É sempre bom ter uma fã de Neil Gaiman por perto e principalmente, as veteranas que são um pouco resistentes, rs..
      Guria... Eu também sou bem nessa vibe, aliás, pelos teus relatos nos comentários parece que somos bastante semelhantes no modo de pensar. Traçar metas para mim é quase uma experiência desastrosa. Acabei de descobri que me frustrei em mais uma, não consegui vaga em um curso para bibliotecária que queria muito fazer. Fazer o quê? Vida que segue. Mas que seria o trabalho dos meus sonhos, isso seria! Viver em meio aos livros e ganhar por isso! Bom... Fica para uma próxima.
      Mário Quintana foi sábio! E como eu sou cobrada por não ser "a coerente por todos os séculos e séculos, amém!" Gente... Como digo na minha autodefinição, sou várias pessoas em uma, cobrar coerência de um ser em eterna mutação é demais né não? As pessoas não entendem, parece que todas tem o mesmo "código de barras". rs.
      Adorei tua conclusão sobre o ontem e o hoje, é o AGORA que faz a diferença. Não o que passou e o que passará, vai depender de nossas atitudes, mas também de diversas outras circunstâncias. Eu estava crente que ia fazer o curso técnico para biblioteca, não deu. Paciência. Tem um sentimento de frustraçãozinha aqui, mas vai passar.
      E eu te sigo no sonoro Amém!
      É aos poucos que a vida vai dando certo. ;)
      Beijos, um prazer te ter aqui.

      Excluir
  18. Eu nunca planejo nada , exceto viagens, já sofri por planejar, por não planejar enfim foda-se tudo isto e sigo em frente no momento presente hhahhhahhhhhhahhha!
    Beijoss, boa quinta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vana, minha amiga, a vida é bem imprevisível. Também já sofri pelos dois motivos e hoje optei por relaxar, foda-se mesmo! Vamo que vamo, seguindo em frente.
      Beijos, bom domingo para ti! :)))))

      Excluir
  19. Olá, Mi.
    Boa de ler, esta sua postagem e saber que você, no fim das contas, já vai fazendo um balanço positivo de sua vida durante estes últimos tempos =)

    Eu interpreto as metas de uma maneira que penso que firma sua importância, porque considero que são importantes, quando se resumem a desejarmos algo. A partir daí, tomamos esse desejo nas mãos e trabalhamos para que se concretize: essa é a nossa meta - a concretização do desejo.
    O trabalho que vou fazer é que vai (ou não) respeitar um plano que tem que ser traçado de forma razoável sem "neuras" com concretizações impossíveis. Às vezes esses planos de trabalho têm que ser "reestruturados" a fim de que se adaptem às nossas outras necessidades e à nossa capacidade de resposta.
    Se tu, à partida, fazes um plano de trabalho super-hiper-rigoroso, amiga! é lógico que dá "merda". Também comigo e com toda a gente rrrrrrsssss
    Acontece-me muuuitas vezes querer a coisa "pra amanhã" e só conseguir passado um ano, vou readaptando o "plano de trabalho" e... chego lá, devagar, sem grandes neuras, mas chego.
    E se vejo que o quero, não é para mim, porque não está dando certo e não dá para atingir, há que refazer: "mudar de opinião e mudar a meta não é fracasso é crescimento".

    bj amg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Carmem, e não é? De algum jeito acabei fazendo um balanço, só que das coisas que NÃO planejei que, se tivessem sido planejadas, com certeza não poderiam ser tão ótimas, hahahaha!
      O que tu descreve tem muito a ver com o pensamento do autor Napoleon Hill, um dos poucos autores de autoajuda que consegui levar pelo menos um pouco a sério. É o ciclo, tudo começa do desejo, do desejo nasce a fé, que faz partir para a ação e depois os resultados. Concordo que este ciclo é incrível, mas como disse anteriormente, as metas precisam ser realistas. E ser realista não é sinônimo de pessimismo, embora muitas pessoas pessimistas assumam o termo realista para justificar suas inércias e falta de coragem. Eu me refiro a subir degraus devagar e não querer "morder a bunda da lua" como disse uma colega aqui.
      É isso mesmo, devagar, sem neuras, chegando lá. Meu cronograma era absurdo! hahahaha! Mas foi um aprendizado, tudo se aprende na prática. Se não o tivesse feito e tentado, talvez hoje estivesse me culpando.
      "Mudar de opinião e mudar a meta não é fracasso, é conhecimento". Perfeito! Sou daquelas que não desiste fácil, mas também não insisto para sempre. Não deu desta vez, dará em outra ou me focarei em outras oportunidades, porque elas surgem direto diante de nossos olhos, basta termos discernimento para reconhecê-las e é este o meu desejo de todo o sempre. Ter este discernimento para tomar as decisões corretas para a minha vida.
      As cobranças sempre virão. Procuro viver por mim mesma.
      Beijos amiga. :))))

      Excluir

"Não compartilho meus pensamentos achando que vou mudar a cabeça de pessoas que pensam diferente. Compartilho meus pensamentos para mostrar às pessoas que já pensam como eu que elas não estão sozinhas". Autor desconhecido

"Ser feliz é saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta". Augusto Cury

É muito bom saber que gostou da postagem e irá comentar.
A moderação de comentários está ativada e tratarei de responder apenas o necessário, se houver.
Se tiver um blog, deixe a url no final do comentário para que possa encontrá-lo.
Comentários tais como ofensas, discriminação, divulgação de sorteios, de blogs ou que não tenham a ver com o conteúdo da postagem não serão publicados. Grata.

Mi F. Colmán

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Enquanto eu estiver por aqui e me for possível, escrever continuará sendo a medicação mais forte e a terapia mais eficaz para a minha sobrevivência". Mi F. Colmán

Quem ri por último, Rivotril

Quem ri por último, Rivotril
Mais um Rivotril. O restinho dos ratos gritando somem. O restinho das pombas macabras somem. O restinho dos corvos somem. Todos para longe. Lá vai a mulher que assusta. Tati Bernardi.