14/07/2015

Uma palavra: NÃO



Quem tem medo de dizer não?

A gente vive aprendendo
A ser bonzinho, legal,
A dizer que sim pra tudo,
A ser sempre cordial...

A concordar, a ceder,
A não causar confusão,
A ser vaca-de-presépio
Que não sabe dizer não!

Acontece todo dia,
Pois eu mesma não escapo.
De tanto ser boazinha,
Tô sempre engolindo sapo...

Como coisas que não gosto,
Faço coisas que não quero...
Deste jeito, minha gente,
Qualquer dia eu desespero...

Já comi pamonha e angu,
Comi até dobradinha...
Comi mingau de sagu
Na casa de uma vizinha...

Comi fígado e espinafre,
De medo de dizer não.
Qualquer dia, sem querer,
Vou ter de comer sabão!

Eu não sei me recusar,
Quando me pedem um favor.
Eu sei que não vou dar conta,
Mas dizer não é um horror!

E no fim não faço nada
E perco toda razão.
Fico mal com todo mundo,
Só consigo amolação.

Quando eu estudo a lição
E o companheiro não estuda,
Na hora da prova pede
Que eu dê a ele uma ajuda

Embora ache desaforo,
Eu não consigo negar...
Meu Deus, como sou boazinha...
Vivo só para ajudar...

Se alguém me pede que empreste
O disco do meu agrado,
Sabendo que não devolvem
Ou que devolvem riscado...

Sou incapaz de negar,
Mas fico muito infeliz...
Qualquer um, se tiver jeito,
Me leva pelo nariz...

Depois que eu estou na fila
Pra pagar o supermercado,
Já estou lá há muito tempo...
Aparece um engraçado...

Seja jovem, seja velho,
Se mete na minha frente,
Mas eu nunca digo nada...
Embora eu fique doente!

A gente sempre demora
A entender esta questão.
Às vezes custa um bocado
Dizer simplesmente não!

Mas depois que você disse
Você fica aliviada
E o outro que lhe pediu
É que fica atrapalhado...

Mas não vamos esquecer
Que existe o "por outro lado"...
Tudo tem direito e avesso,
Que é meio desencontrado...

Quero saber dizer NÃO.
Acho que é bom para mim.
Mas não quero ser do contra...
Também quero dizer SIM!

Ruth Rocha 

Escolhi a palavra NÃO por considerá-la a mais poderosa, acredito que de todas as palavras que conheço.
Cremos ser completamente livres para fazer o que quisermos quando crianças até começarmos a ouvir os "nãos", alguns necessários (como não colocar a mão no fogo ou tomada) e outros que, com continuidade, podem afetar a vida de alguém para o resto da vida.
Eu penso que as pessoas que tiveram uma educação muito rígida e foram educadas ouvindo constantemente a palavra NÃO atualmente são as mais problemáticas.
Elas tem problemas tanto para dizer, quanto para ouvir. Mas principalmente para dizer.
É o temor de não ser "bem comportado" da criança interior. O medo de não agradar aos outros. A autoestima talvez até inexistente.
Conheço pessoas que não sabem dizer não a vendedores, não sabem devolver uma mercadoria com defeito, permitem que passem à sua frente numa fila enorme, não sabem recusar ajuda...
Acabam acreditando assim, que nunca serão criticadas ou serão amadas e admiradas por tanta prestatividade. Ledo engano...
Vejam bem, não sou nada contra pessoas prestativas. Se não fosse uma, nunca teria dispensado meu tempo em trabalhos voluntários, porém, nunca fui mais prestativa com os outros do que comigo mesma.
Não estou dizendo que sempre digo esta palavrinha mágica com total facilidade. Nem sempre é fácil negar ajuda a um amigo que faz um pedido quando não se tem tempo para ajudá-lo, nem sempre é fácil evitar o conflito de pessoas que não admitem receber um NÃO e podem até se tornar vingativas, nem sempre é fácil lidar com pessoas que se sentem rejeitadas com o seu "não" (sim, isto existe), ou reclinar aquele convite chato de ir à uma "célula" na casa de uma amiga, se livrar de um vendedor ou religioso insuportável ao interfone... Enfim, são inúmeras situações.
O curso de Assistente Administrativo que fiz só fez confirmar a minha tese. Os chefes e colegas nunca veem com bons olhos funcionários que não sabem se posicionar. São encarados como puxa-sacos, alvos fáceis de exploração e profissionais pouco determinados.
Nos relacionamentos, seja amorosos, de amizade ou de família, não é diferente. Pessoas que temem falar um sonoro "não" são imã de gente oportunista. Algumas sofrem até prejuízos financeiros por conta disso.
E para ser sonoro, não precisa ser deselegante, apenas firme e assertivo. Claro que para os que não estão acostumados, certamente no início será bem difícil, mas recomendo a prática. Com a prática tudo vai se tornando natural em nossas mentes.
Meu único problema com o "não", confesso, é quando preciso dizê-lo a mim mesma. Este é um dos maiores desafios que enfrento no meu dia-a-dia, rs.
Mas com os demais...

 Mi F. Colmán

 Minha participação na BC Uma Palavra da Emily do blog Fatos de uma garota e da Tina Bau Couto do Meu Blog e Eu.

I´m bleeding, quietly living I´m living, quietly bleeding - Dominik
 renata massa