terça-feira, 4 de agosto de 2015

Franz Kafka, a menina e a boneca



















Um ano antes de sua morte, o autor da famosa obra Metamorfose, Franz Kafka viveu uma experiência única.
Passeando pelo parque de Steglitz, na cidade de Berlim, encontrou uma menina chorando desconsolada por haver perdido sua boneca.
Kafka se ofereceu a ajudá-la a encontrar a boneca e combinou de encontrar-se com a menina no dia seguinte, no mesmo lugar.
Como não conseguiu encontrar a boneca, redigiu uma carta escrita "pela própria boneca" e a leu quando se reencontraram:

"Por favor, não chores. Viajei para conhecer o mundo. Vou te escrever sobre minhas aventuras..."

 
Este foi o início de várias cartas escritas que, segundo relatos, Kafka escrevia com a mesma dedicação com que escreveu suas obras.
Quando ele e a menina se encontravam, ele lia cuidadosamente todas as aventuras imaginárias da querida boneca. A menina se consolava.
Quando os encontros chegaram ao fim, Kafka lhe deu de presente uma boneca. Ela, obviamente, era diferente da boneca original. Uma carta anexo ao presente explicava: "Minhas viagens me transformaram..."
Muitos anos mais tarde, a garota já crescida, encontrou uma carta enfiada em uma abertura despercebida dentro da boneca. Em resumo, dizia:


 "Tudo o que você ama, eventualmente perderá, mas no final, o amor retornará de uma forma diferente".

Vi esta postagem no Facebook de um amigo ontem e resolvi compartilhar aqui no blog com vocês, pois não conhecia esta aventura de um dos meus autores favoritos, que li ainda na infância.
Comenta-se que esta história serviu de inspiração para o incrível filme O fabuloso mundo de Amélie Poulain.

Maiores detalhes e outras informações vocês encontrarão no _Dharmalog


Mi F. Colmán 

 

32 comentários:

  1. Olá Mi, Kafka está entre meus favoritos, li já algumas coisas dele, e entre eles está "Carta ao Pai", que é um tanto angustiante, ele revendo a relação com o pai, como o pai esculhambou com a auto estima do escritor...desconhecia estas cartas e esta história, que é genial...o que esperar de um gênio ? Para um cara que escreveu A Metamorfose, a imaginação não tem limites, e inspiração, bem, acredito que Franz Kafka seja a própria inspiração. Curioso, adorei este post.
    ps. Carinho respeitoe abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jair!
      Infelizmente, desde ontem tenho percebido no Facebook o quanto há de gente que se indentifica com esta obra "Carta ao Pai". É realmente angustiante e triste que hajam pais assim.
      A Metamorfose foi um dos primeiros livros que li na infância e fiquei fascinada. O cara foi mesmo um gênio.
      Beijos.

      Excluir
  2. Ai que história linda! Que bom que compartilhou!
    Sorte teve essa garotinha ao se deparar com Kafka, ao receber cartas. Lindo e tocante!
    beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! :))))
      Também achei fascinante a história, tão fascinante quanto as obras deste gênio que, infelizmente, era uma pessoa com muitas perturbações psicológicas.
      Essa garota teve muita sorte mesmo!
      Beijos.

      Excluir
  3. Que história linda Mi
    E com que propriedade ele fala do amor na sua última carta.
    Um dia ele vai embora seja porque motivo for mas outro virá ocupar o lugar
    Tem histórias que a gente lê que mexe com nosso eu, talvez seja porque no momento da leitura encontramo-nos fragilizados e nos identificamos com o contexto narrado
    Sorte teve essa garotinha de encontrar o Kafka que sua sensibilidade não deixou que a separação se consumasse em dor e desilusão
    Um super beijo minha amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gracita! Como vai amiga?
      Linda história, não?
      Eu acredito neste tipo de amor descrito nela e fiquei fascinada quando a li que tive que compartilhá-la.
      Ela foi mesmo uma garota de muita sorte.
      Beijos.

      Excluir
  4. Olá Mi. foi uma bela ideia a partilha.
    A historia é grande de muito bonita em reflexão no metamorfosear.
    Gostei.
    Abraços de carinhos.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amigo! Tudo bem?
      Realmente, essa história serve para refletirmos bastante sobre como lidar com certas rupturas em nossas vidas. Kafka foi um gênio.
      Beijos.

      Excluir
  5. É, querida MI, você pegou a nata, o que há de melhor para apresentar. As obras de Kafka estão entre as mais notáveis do século XX, como "A Metamorfose (1916)" e "O Processo (1925)". Apesar de atormentado pela hipocondria e a indecisão, Kafka só surpreendia pela capacidade que possuía em suas criações e narrativa. "Carta ao pai (1919)" é marcante. Veja só a nossa sorte, antes de morrer, de tuberculose, em 1924 com 40 anos, determinou que todos os seus textos inéditos fossem destruídos, no que não foi atendido.

    Gostei muito desse texto acima, é de uma beleza e de uma ternura pura.
    Linda sua postagem, parabéns muitas vezes.
    Beijo grande querida amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Taís! Estou com saudades amiga, ando beeem enrolada na blogosfera e nem estou sendo muito fiel ao BEDA, mas enfim... A gente faz o que pode.
      A vida de Kafka realmente não foi fácil e creio que são as pessoas que conhecem o verdadeiro sofrimento, as que mais têm a nos oferecer. Seja com obras ou com gestos como este que ele teve com a garota.
      Estou surpresa desde ontem o quanto Carta ao Pai tem sido mencionada no Facebook por pessoas que super se identificam com ela. Triste.
      Realmente tivemos muita sorte. A Metamorfose foi um dos primeiros clássicos que li na infância.
      Muito obrigada minha querida amiga.
      Beijos! :)))))

      Excluir
  6. Amélie Poulain me tirou da depressão
    Faço questão de contar e lembrar
    Sou apaixonada e grata
    Essa do Kafka, amar é o resumo do que senti e vou em mim guardar essa história, contar e tipo desde já, qd vê algo dele, olha eu lendo rsrsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tina, eu devo visitas para a blogosfera inteira! De boa, não sei se dou conta desse BEDA não, huahuahauaha! O que me deixa feliz é saber que tenho amigas e amigos de verdade que continuam me acompanhando, já que não apareceu um ser humano do grupo para prestigiar o projeto. Não é reclamação, apenas constatação. Não acredito que seja assim que movimentaremos a blogosfera. Talvez haja mais intimidade entre elas, nunca fui muito participativa. Mas talvez por isso mesmo, por ser novata, que devesse ser mais incluída. Mas enfim... O importante é tê-los aqui sempre comigo, meus fiéis colegas, amigas e amigos da blogosfera 4 ever and ever.
      Preciso me organizar para conferir tudo o que perdi por aqui.
      Beijos. :))))

      Excluir
    2. Entendo sua observação e na minha opinião um projeto tem que fazer valer o que propõe entre os envolvidos e principalmente com os que aderem. Conhecidos ou não (com especial atenção aos estranhos).
      Eu, no mundo blog, sendo sem Face, só blog. nunca tinha ouvi falar desse projeto que é para o universo dos blogs valorizar. Ponto negativo! Estão mais por lá que por aqui e exemplos valem mais que palavrasé meu sentimento. Eu não ter ouvido falar, não ter visto o retorno do chamado em nenhum comentário por ai, nem nenhuma blogueira voltado a blogar por conta desse projeto pode também ser reflexo da quantidade de blogs que acompanho frente a diversidade que há, pode ser pelos tipos que sigo que não são na sua maioria comerciais. Não são estourados no Facebook e nesse ponto pra mim reside a incoerência. Pra ser de raiz não é mais pertinente e legítimo ser diário e não vitrine e lá na outra rede não estar? De raiz remete a isso no uso e na raiz da expressão.
      Pra valorizar ser de raiz lá (no Face) estando, não há que ser tão ou mais cá que lá e assim se organizar pra todos os participantes visitar. Fazer o postar circular de alguma forma NA BLOGOSFERA?
      Tempo e volume não são justificativas. Chica ensina rsrsrsrs.

      Excluir
    3. Comentário cheio de erros by digitação via celular e sono de acordar as 5

      Excluir
    4. Tina, incrível que esse teu comentário há dois dias atrás hoje bata tanto com a realidade do meu último post.
      Observando comentários de blogueiras veteranas como você e a Ana Paula, sinto que fiz a coisa certa ao me desvincular do projeto. Sabe, não vale a pena, meu blog pareceu não ter chamado a atenção das blogueiras de raiz e todos os visitantes que vem do Facebook eu conheço pela localidade (uma é do Canadá, um de Salvador e outros são de regiões diferenciadas do interior do Brasil) e não percebi nenhum "movimento diferente" vindo de lá para cá.
      Como disse no post atual, não sei o que acontece, porque eu me enturmo muito fácil no Facebook, mas como lá tudo é cheio de regras, organizado demais (isso não é uma crítica) não soube lidar e me sentir à vontade como me sinto aqui e em outros grupos da mencionada rede social. Postei meu link, não veio ninguém. Continuei postando o projeto, nada. Então nada mudou! Continuo escrevendo (com muita honra e gosto!) somente para vocês e não às envolvidas no projeto. Qual o sentido? Escrever para vocês é e sempre será um prazer, não preciso de nada planejado para fazer isso.
      Beijos e muuuito obrigada pelo apoio!
      E erros de digitação são uma constante para mim, digito rápido demais. rsrsrs.

      Excluir
  7. Olá, Mi.
    A imaginação tem os limites que lhe dermos.
    O sonho alimenta-nos e permite-nos sobreviver ;)
    bj amg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carmem! Como estás?
      A imaginação não tem limites, infelizmente, a generosidade sim.
      O que seria de nós sem os sonhos, não é mesmo?
      Beijos amiga.

      Excluir
  8. Acabei de chegar de um blog que está em festejos e vai sortear adivinha o quê?
    O livro Kafka e a boneca viajante!
    amei as sintomas. Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca... Sério? Qual blog?
      Amei também! :))))
      Beijos.

      Excluir
  9. Que coisa mais linda! Como diz a Ana Paula, foi mesmo muita sorte dessa menina! Adorei! valeu muito! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo demais né Chica? Kafka ensinou essa menina a lidar com a ruptura dos vínculos que fazem parte da vida logo cedo. Achei fantástica sua atitude!
      Beijos minha querida. :))))

      Excluir
  10. Nossa demais, sensível, humano, um ser que amava sem nada pedir, apenas amava, bjos Luconi

    ResponderExcluir
  11. Sou eu de novo feliz porque desta v ez consegui te seguir da outra que aqui estive não abriu de jeito nenhum, bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luconi! É uma felicidade grande te ver por aqui também!
      O Blogger e seus bugs, como sempre! Mas não o troco por nada. rs.
      Beijos e seja muito bem-vinda aqui também! :)))))

      Excluir
    2. Repeti o "aqui também", huahauahau! Triste desatenção...

      Excluir
  12. Olha aqui Mi!

    http://mulheresemcirculo-luz.blogspot.com.br/2015/08/sorteio-duplo-no-mes-de-aniversario.html

    Confere lá o post e aproveita para participar dos sorteio porque o livro já está esgotado nas editoras :(
    Foi uma coincidência muito feliz ler aqui e logo depois encontrar lá na Cris!

    Eu estava lendo os comentários e vi sua resposta ao comentário da Tina. Como te disse, eu não tive nenhum contato com esse grupo blogueiros de raiz. Apenas vi em outros blogs que divulgavam o grupo, mas estranhamente nào tinham nenhum comentário além do meu.
    Vou ser bem careta nesse sentido - resgatar as raízes do blogar no facebook, para mim, parece não ter muito a ver...
    Até poderia ser pela maior visualização, mas fica comprovado, que quem está por ali não tem menor interesse em ler, entrar no que está escrito e comentar. Curtir é mais fácil.
    Triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! Eu já devo ter perdido o prazo de participar do sorteio, de qualquer forma vou lá dar uma olhada, muito obrigada! ;)
      Como já sabe, eu desvinculei definitivamente do projeto e como respondi agora à Tina, sem problema algum.
      Quem tem blog pequeno e um grupo seleto de leitores constantes, percebe a movimentação diferente, principalmente vinda do Face e de lá só têm vindo as mesmas pessoas amigas de sempre. Ou seja, parece que meu blog não chamou a atenção das blogueiras de raiz, rs.
      A falta de comentários é uma evidência de que a movimentação do blog está fraca, isso é fato. Claro que há muitos que leem e não comentam, porém, um post com zero comentários parece não ter atraído muita gente.
      Eu não sei como está entre elas, embora tua impressões pareça que realmente não está muito diferente do que aconteceu por aqui e acho que também estou ficando careta, a blogosfera pode muito bem valorizar suas raízes por si mesma. ;)
      Beijos.

      Excluir
  13. Que lindo! Continue compartilhando textos assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! :))))
      Estou fazendo uma compilação de textos que não são de minha autoria mas que gosto para compartilhar com vocês.
      Beijos.

      Excluir

"Não compartilho meus pensamentos achando que vou mudar a cabeça de pessoas que pensam diferente. Compartilho meus pensamentos para mostrar às pessoas que já pensam como eu que elas não estão sozinhas". Autor desconhecido

"Ser feliz é saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta". Augusto Cury

É muito bom saber que gostou da postagem e irá comentar.
A moderação de comentários está ativada e tratarei de responder apenas o necessário, se houver.
Se tiver um blog, deixe a url no final do comentário para que possa encontrá-lo.
Comentários tais como ofensas, discriminação, divulgação de sorteios, de blogs ou que não tenham a ver com o conteúdo da postagem não serão publicados. Grata.

Mi F. Colmán

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Enquanto eu estiver por aqui e me for possível, escrever continuará sendo a medicação mais forte e a terapia mais eficaz para a minha sobrevivência". Mi F. Colmán

Quem ri por último, Rivotril

Quem ri por último, Rivotril
Mais um Rivotril. O restinho dos ratos gritando somem. O restinho das pombas macabras somem. O restinho dos corvos somem. Todos para longe. Lá vai a mulher que assusta. Tati Bernardi.