sábado, 14 de março de 2015

Ser diferente é (deveria ser) normal


Inúmeras vezes escutamos e repetimos a típica frase: "Ser diferente é normal". Porém, quantas vezes em nossas vidas, a colocamos sinceramente em prática?
Uma ONG francesa teve a iniciativa de desafiar as pessoas e o limite de seus preconceitos. A atividade consistia em pais, juntamente com seus filhos, assistirem a um vídeo com diversas pessoas fazendo caretas e imitá-las.
Até aí tudo bem.
Ou até aparecer uma criança com deficiência múltipla.
O nome do vídeo é The Eyes of a Child, ou seja, Os olhos de uma criança, que nos incentiva a enxergar o mundo com a naturalidade de uma criança.
E evidencia, através do vídeo a seguir, que preconceito não é natural, realmente se adquire.


Mi F. Colmán

52 comentários:

  1. Lindo esse vídeo.Chamei meu neto pra ver.Adoramos.&Uma pena que esse preconceito exista! bjs, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  2. Chica, que coisa boa! É desse jeito que vamos acabando com o preconceito.
    Espero, sinceramente, que outras blogueiras que passarem por aqui e tiverem crianças em casa, tenham a mesma atitude que a sua.
    Beijos e um lindo findi para ti também. :)))))

    ResponderExcluir
  3. Oi Mi :)
    Que vídeo interessante...
    Pessoas preconceituosas, geralmente acham que são superiores.
    Por isso, nesse vídeo, somente as crianças com sua pureza e inocência,
    repetiram o gesto da garotinha deficiente.
    Deram uma lição aos pais.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clau. :)
      Foi uma lição e tanto, não é mesmo?
      Não somente aos pais, mas a toda a sociedade preconceituosa de adultos.
      É revoltante pessoas que se julgam superiores.
      Beijos.

      Excluir
  4. Olá!
    Vim retribuir a sua visita ao meu cantinho e obrigada por me convidar para o seu novo Blog!
    Parabéns!
    Que belo vídeo...
    Acredito que o Mundo só terá solução se essas crianças continuarem com essa pureza...com esse amor...espero q. não sejam contaminadas com o preconceito dos adultos!
    Ótimo fim de semana!
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Fã Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alessandra. Seja bem-vinda!
      Obrigada por vir até aqui.
      Lamentavelmente é o que acaba acontecendo, as crianças acabam sendo contaminadas com o preconceito dos adultos.
      Ótimo fim de semana para ti também.
      Beijos.

      Excluir
  5. Mi,
    Nao tenho filhos, mas chamei o marido pra ver! Ficou ate emocionado!!
    Incrivel esse video!!!!! Como as crs sao maravilhosas!!!!!
    Sabe, Mi, uma vez comentei que minha irma tinha perdido uma filha, lembra? Ela nasceu com paralisia cerebral. Os medicos nos disseram que ela viveria apenas alguns dias e ela viveu 7 anos. Era tanto amor passado pra ela, principalmente do meu marido. Nao tinhamos preconceitos e nem faziamos diferencas, mas as pessoas que nao conviviam com ela, tinham um olhar diferente. Sou completamente livre de preconceito. O meu olhar sempre foi e sera de carinho e amor para qualquer pessoa que se diz "diferente". Bjs e um lindo dia!
    Sobre o comentario do blog: Ando ansiosa mesmo!, rsrsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, a pessoa some e a fã número 1 fica preocupada! Cadê vc, dona Mi? Espero que esteja tudo bem? Bjs

      Excluir
    2. Fã número 1? Aeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!! #zuera
      Não te preocupa não minha amiga querida, já já estou voltando. ;)

      Excluir
    3. Lu! :))))
      Eu também não tenho filhos, mas é impossível não se emocionar com esse vídeo, com o quão maravilhosas as crianças são!
      Claro que eu me lembro do teu comentário, foi no post do blog anterior (que inclusive trarei para cá) daquela mãe que acompanho e perdeu o filho que fazia parte de um dos grupos que eu participo no Facebook.
      Eu conheci uma menina com paralisia cerebral e acredite, ela viveu 12 anos ou mais! Não sei ao certo a idade que ela tinha, o que sei que para nós o seu falecimento foi algo muito triste. Porque nós (amigos de verdade) a amávamos como se fosse da família.
      Das coisas mais lindas que recordo dela é que, quando ela gostava de alguma pessoa, para expressar isso apertava bem forte a mão e tinha uma força! :))))))
      Mas por outro lado (tudo tem um lado negro né?) também percebíamos pessoas que não conviviam com ela o preconceito escancarado nos olhares, alguns até de nojo. Nojo eu sentia delas!
      O meu olhar também será sempre como o teu Lu.
      Espero que tenha aliviado a ansiedade, vai um Rivotrilzinho com Coca-Cola aí? ;) hahahaha! #brinks.
      E olha, já estou aqui de volta! Lendo o próximo post entenderá a razão do meu "sumiço", rs.
      Muito obrigada Lu, de verdade, pela preocupação e consideração.
      Beijos querida amiga e tenha um ótimo findi.

      Excluir
  6. Oi Mi!
    Claro que vou continuar te seguindo, não te largo mais kkkk
    Amei o vídeo e p/reforçar que preconceito realmente se adquire, por coincidência, minutos antes de entrar aqui estava lendo essa declaração do pai do Ronaldo:
    'Ser negro é uma das piores coisas do mundo', diz pai de Ronaldo
    Famosidades.
    Amiga, se com o pai do RONALDO FENÔMENO acontece isso, imagina o que deve acontecer com os anônimos por aí...
    Vou deixar o link p/vc do desabafo dele

    http://www.msn.com/pt-br/esportes/futebol/ser-negro-%C3%A9-uma-das-piores-coisas-do-mundo-diz-pai-de-ronaldo-fen%C3%B4meno/ss-AA9LMZr

    Bjsss e obrigada pelo carinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dinha! Que bom! :))))
      Acabei de ler o desabafo do pai do Ronaldo e nossa, é de amargar... É triste fazer parte das minorias, é matar um leão por dia, uma luta constante.
      E claro, para os anônimos é tão (ou mais duro) encarar isso.
      Beijos.

      Excluir
  7. O preconceito é uma arma silenciosa.
    Nem sei o que será pio: se o olhar de lado ou o desrespeito escancarado.

    bom fds
    bj amg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carmem, também já me perguntei muito qual seria a atitude pior.
      Concluí que as duas são igualmente terríveis e cruéis.
      Bom fim de semana.
      Beijos.

      Excluir
  8. Belíssima partilha Mi.
    Lembra da frase de Mandela?
    "Ninguem nasce odiando uma pessoa pela sua cor, isto é ensinado."
    Onde moro tem uma criança Down que se fez minha amiga tipo chicletes, não pode me ver e eu viro criança para vê-la feliz. Esta criança não convivia com o playground, devido ao próprio preconceito dos pais. Então após minha amizade passou a frequentar o mesmo e é uma festa quando desce e interage com as outras crianças. Ainda vou postar sobre ele.

    Lindo fim de semana amiga.
    Carinhoso abraço de toda paz e luz ao seu coração.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toninho, acho que serei repetitiva se disser que a cada post aqui comentado me sinto privilegiada e tenho o maior orgulho de poder chamá-lo de meu amigo.
      Lembro da frase sim e acho que Mandela tinha toda razão!
      Poste sim sobre ele e me avise quando o fizer (ando meio ausente devido a estudos) porque quero muito saber como é a interação dela com outras crianças.
      Triste quando a ignorância vem dos próprios pais.
      Triste para a criança e triste para os pais, por serem tão pequenos e não poderem desfrutar completamente do mundo incrível de seu (sua) filho (a).
      Lindo fim de semana para ti também meu querido.
      Paz e luz sempre!
      Beijos.

      Excluir
  9. Ola Mi...Que bom você não me esqueceu. ..Eu que ando tendo que optar por estabeler prioridades. ..Não sou muito de me abrir. ..o tempo todo agora é ajudar meu companheiro a caminhar como parksoniano e enteder que pode na medida do possível levar uma vida normal. ..Por esta razão estou "me perdendo dos amigos".Quando posso apareço. Sua abordagem sobre o preconceito foi perfeita. O vídeo exemplar ...A ausência dele é fruto da pureza e da inocência...É preciso buscar a criança que um dia fomos dentro de nós. ..Jesus ja profetizava sobre. Bjs amiga.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Claudete.
      Raramente me esqueço das pessoas, geralmente o que acontece é o oposto! huahuahuahau!
      Coincidência, escrevi um post sobre prioridades agora.
      Sobre o Mal de Parkinson? Já ouviu falar sobre o protocolo da Vitamina D (que na real não é uma vitamina, é um hormônio) em altas doses que um cientista brasileiro (Dr. Cícero Galli Coimbra) tem trabalhado com doenças neurológicas há mais de 12 anos com excelentes resultados?
      Não sei onde mora, mas há uma grande equipe de médicos especializados por ele que fazem este tratamento.
      Aqui tem uma matéria a respeito do assunto, caso se interesse:

      http://sites.uai.com.br/app/noticia/saudeplena/noticias/2014/01/29/noticia_saudeplena,147338/vitamina-d-pode-amenizar-sintomas-de-doencas-como-parkinson-e-escleros.shtml

      Quando o assunto é doença, a gente acaba se perdendo mesmo. Não se culpe porque isso é normal.
      É, na Bíblia Jesus profetizava sobre sermos como as crianças.
      Beijos amiga e bom fim de semana.

      Excluir
  10. Oi menina, boa madrugada, Que linda iniciativa a sua amiga.
    Mas como diz acima o Toninho, as vezes o preconceito vem dos próprios pais, ou das pessoas que tem o problema,digo isso porque certa vez quis atravessar um sego e ele só faltou me bater de bengala.Tem muitas pessoas na terceira idade que quando queremos ajudar a atravessar a rua,são um poço de ignorância.
    Porém temos que continuar a fazer a nossa parte e com certeza que mostrarei esse vídeo para os meus netos.
    Bjsss e responderei a tag sim, e assim que responder te aviso.
    Bjsss

    ResponderExcluir
  11. Esqueci de te convidar para mais uma brincadeira da ilha.
    venho convidar e vc e amigos para participar da brincadeira da Lindalva cujo link é:http://folhas-da-ilha.blogspot.com.br/Posso contar com vc?
    Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! Boa noite! :))))
      Quando o preconceito vem dos próprios pais é muito triste. Quanto às pessoas, acho que nem chamaria de preconceito ou de ignorância (palavra forte essa), mas de estarem cansadas de ser discriminadas e vistas como "incapazes" por terem algum tipo de limitação.
      Há as que aceitam e há as que não aceitam ajuda e todas devem ser respeitadas. Cada um tem uma vivência.
      Muitas vezes queremos fazer isso não para o bem da pessoa, mas para o nosso próprio bem, para nos sentirmos solidários e quando isso é negado, nos sentimos ofendidos.
      Na real, não tem porque nos sentirmos assim, afinal, se estamos conscientes que fizemos o que acreditávamos ser nossa parte e a mesma foi negada, é porque era desnecessária. Mas, se ferir nosso ego... é hora de repensar nossa empatia.
      Espero que teus netos tenham curtido o vídeo como os netos da Chica.
      Beijos e obrigada pelos avisos.

      Excluir
  12. Mi,

    Se tem uma coisa que muito me entristece, é o preconceito; seja lá de que tipo for.
    Dói no fundo de meu coração.
    Trabalho com deficientes físicos, e tenho aprendido muito com eles. E, não eles comigo.
    O vídeo é simplesmente fantástico. Amei o post! Parabéns!
    Lindo Domingo! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucinha, o que mais tenho percebido em trabalhos voluntários, seja qual for, é que nós aprendemos muito mais com quem estamos "ajudando" do que eles conosco. rs.
      Muitos deficientes físicos são um exemplo de força, perseverança e um tapa na cara de quem não tem limitações e só sabe reclamar da vida, sem fazer nada para mudá-la.
      O preconceito me entristece demais, principalmente quando é extremamente escancarado. Não tem como ignorar e muitas vezes acabo partindo para a briga mesmo! Não suporto!
      Triste. Mais triste ainda é ter pessoas na família com uma bagagem imensa de preconceitos.
      Lindo domingo para ti também!
      Fico contente que tenha amado o vídeo tanto quanto eu amei. :))))
      Beijos.

      Excluir
  13. Bom dia Mi.
    Amiga eu lhe admiro muito, vou começar pelo inicio, o nome do blog , mostrou que segue a sua vontade e isso é maravilhoso, mostra ser uma pessoa autentica, que faz o que quer, por sinal gostei do nome. Quanto a postagem mais uma fez mostrou que não gosta de preconceito, eu também sou assim, não me vejo melhor nem pior do que ninguém, para ser sincera não curto muito as pessoas cheia de preconceitos. Digo cheia porque se fosse me afastar e todas as pessoas preconceituosas da minha família, ficaria só com a minha filha. Nem preciso dizer que chego hoje no seu lindo espaço para ficar, pois lhe as suas postagem e sempre gratificante e interagir com você é um aprendizado. Quanto ao vídeo todos deveriam assistir, as crianças são exemplos a serem seguindo. Um lindo domingo.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Mirtes!
      Espero que esteja um pouco melhor de saúde do que da última vez que te visitei. Na torcida aqui.
      Muito obrigada, mesmo. A real é que não consigo me sentir cômoda diante de coisas às quais não tenham a ver comigo. rs.
      O nome do blog, o visual, tem tudo a ver com a minha cara, muito mais que o anterior.
      E não tenho medo mesmo de recomeçar, de mudar o que acho que não está legal, porque se tivesse, ficaria com certeza me sentindo muito mal.
      Nossa... Acabei de comentar com a Lucinha a respeito de familiares que carregam bagagens de preconceitos. Inclusive EU sou um dos alvos, acredite. Não é fácil, tem horas que parto mesmo para a briga, porque não tem como dialogar com pessoas assim.
      Ah, que coisa boa! Seja muito bem-vinda! :)))
      É para ficar meeeesmo! rsrsrs.
      Interagir contigo e com grande parte dos que vem aqui é um grande aprendizado também para mim.
      Lindo domingo para ti também.
      Beijos.

      Excluir
  14. Mi querida,
    Muito obrigada pela gentil visitinha e por seguir meus blogs.
    O vídeo é realmente muito lindo, amiga
    Deixo um beijinho carinhoso para você e o meu carinho
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Verena, seja bem-vinda!
      Venha sempre que quiser e quando quiser.
      Muito obrigada.
      Beijos.

      Excluir
  15. Oi Mi
    Acho que sou feita de mel.Pois são estas pessoas que mais se aconchegam a mim e eu a elas
    Na escola onde trabalho temos algumas crianças como vou dizer "diferentes" aos olhos da sociedade. E dói ver pessoas preconceituosas tratando-as de modo diferenciado por causa de suas limitações. O que mais entristece é que ninguém nasce preconceituoso é um mal adquirido e vem primeiramente da sociedade familiar até atingir esferas mais elevadas
    Mi, posso levar esse vídeo para a escola?
    Um lindo domingo para você querida
    Beijos

    Ps. Mi eu sou pós graduada em mídias e estou há 04 anos trabalhando com informática educacional. A faixa etária dos meus pequenos... 05 a 11 anos.
    A escolha de uma profissão é decisão difícil e ela tem que vir de encontro ao coração
    Um bom profissional é aquele que sabe dosar emoção e razão mas não pode permitir que a razão sobreponha a emoção. É através do afeto que conseguimos ser mais humanizados e ver o outro com mais nitidez. Essa visão é o que nos faz ter sucesso na profissão (missão)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gracita! :)))
      Minha mãe costuma dizer que pessoas como você são feitas de açúcar, a expressão do mel é nova para mim. rs.
      Sobre a inclusão destas crianças em escolas regulares, penso que deveria haver um preparo maior dos educadores.
      Entristece e revolta isso que adquirimos com o tempo (sim, porque todos nós temos algum tipo de preconceito, mesmo que seja "mais leve") e adquirimos dentro da sociedade familiar, que é a primeira formação do indivíduo né?
      Gracita, demorou!
      Quero mais que este vídeo seja divulgado! Em instituições melhor ainda, inclusive aos educadores, para repensarem algumas atitudes.
      Mudando de assunto, decidir realmente é difícil.
      Tenho muita atração por Direito, porém, muitas vezes idealizamos algo e quando entramos a fundo vemos que não era "bem aquilo" que imaginávamos. Tenho este temor, mas creio também que nada na vida seja irreversível.
      Tenho como segunda opção Serviço Social, tenho experiência tanto teórica quanto prática. Teórica porque fiz revisão de TCC e monografias de alunos desse curso e prática por ter começado a lidar em uma instituição de dependentes químicos.
      Adoraria trabalhar nesta área também que é carente de assistentes sociais por ser vinculada à uma igreja.
      Beijos minha querida e um lindo domingo para ti também.

      Excluir
  16. Hummm,quer dizer que tem a cor rosa no seu blog...rsrsrs.
    Quem diria!

    Depois eu volto,princesa de Jesus!
    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É pink e meu trauma não é com rosa e sim, alaranjado (cor principal do layout do blog anterior), o que sou contra é a padronização do rosa para os layouts de meninas.
      Muitos não entenderam isso por mais que eu tente explicar, portanto, nem tento mais.
      Volte sim e seja bem-vinda. :))))
      Beijos.

      Excluir
  17. Oi Mi. E ai amiga, beleza?

    Cara! Eu sei que eu demorei muito pra vir aqui mas eu ando bem lentinha pela blogosfera e até no face também.rsrs
    Como disse no Asas(não me lembro o post) é só uma fase. No outono, eu volto ao normal, como sempre.rs

    Menina mas que bloguito danado de bonito, hein! Não que o outro não fosse, mas este parece estar mais a sua cara, mesmo.
    Claro que ainda vou ler os outros posts mas já gostei muito daqui.
    E mudança, quando é necessário, tem que ser feita mesmo. Sem medo de ser feliz.
    E desejo que você seja muito feliz neste blog. Parabéns pelo espaço de excelente qualidade.

    Quanto a postagem, um assunto que deveria ser bastante abordado! Pois "ser diferente é normal" mas o preconceito rola solto por aí. E o vídeo publicado é um excelente exemplo de pureza das crianças que deveria ser seguido pelos adultos.

    Uma ótima semana pra você, Mi.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, coincidentemente hoje é o primeiro dia de outono, vejamos se consegue recarregar as baterias e se fazer mais presente.
      Tu faz falta na blogosfera, mulher!
      O outro era bonito sim, mas este é mais, porque este é MEU, hahahaha!
      Estranho né? Mas aquele layout não sentia ser meu, aquele espaço estava esquisito para o meu gosto peculiar.
      Muito obrigada Lu! :))))
      Eu já estou feliz com o blog, estou feliz com o filtro que está rolando por aqui. hahahahaha!
      Deveria haver uma inversão de valores aí né? As crianças nos educando e não o oposto.
      Beijos e um ótimo fim de semana para ti.

      Excluir
  18. Boa tarde querida Mi...
    como tenho vizinhos especiais já ouvi outras pessoas falando muito mal dos mesmos...
    são uns amores.. puros de coração, sempre brincando.. rindo da vida sabe..
    enquanto estes que acham que são perfeitos são os mal educados numa fila de super mercado e por ai vai.. acham que rostinho brilhando , beleza vazia é superior a tudo..
    falta o dentro.. por fora é uma beleza desbotada... e por dentro muitos nem beleza tem.. falando ainda deste ser especial vizinho meu.. de tão inocente que é.. dias atrás ele ganhou de gorjeta 100 reais rsrs por engano.. saiu todo feliz mostrando o dinheiro, a mulher que deu achou que era 2 reais rsrs dai as pessoas foram com ele atrás da senhora rsrs
    uma comédia srrs
    bjs e um lindo dia até sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite poeta das asas douradas.
      É meu querido, o ser humano dito "normal" na maioria das vezes costuma ser podre. Triste encarar esta realidade, mas é a real.
      Eles são mesmo uns amores, tive experiência com alguns, inclusive um foi colega de classe meu no Ensino Fundamental e era inteligentíssimo.
      Eles tem uma inocência e pureza únicas, né?
      Beijos, linda noite e até sempre querido poeta.

      Excluir
  19. O preconceito pode até ser uma aquisição, mas que está presente em todos nós disso não tenho a menor dúvida.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cadinho, seja bem-vindo.
      Claro que está! Não discordo não.
      Acho apenas que temos que tomar atitude, termos maturidade de encararmos isso em nós mesmos e fazermos o possível para mudar e evitar que ele continue sendo visto como normal, afetando vidas, por todas as partes e a todo momento.
      Se não reconhecermos e não fizermos nada para este quadro mudar, inclusive dentro de nós mesmos, seremos seres humanos de extrema podridão.
      Beijos.

      Excluir
  20. Oi, querida MI, acho engraçado as pessoas terem alguns problemas, preconceitos com pessoas não iguais. O que vale é ser bonita? Branca? Pele alva? Todas igualmente belas, segundo elas, as preconceituosas. Mas nunca ninguém vê como são as pessoas por dentro: boçais? Mentirosas? Invejosas? Mal intencionadas?
    A beleza externa é muito relativa, conforme o lugar em que se nasce. Ninguém vai nascer na Africa, branca de olhos azuis; mas muitos podem nascer na Áustria lindas, olhos azuis e sacanas.
    O que pesa nesse mundo é a aparência. A indústria do belo que dita as linhas, a cor, os olhos, os cabelos. Agora é hora de todos iguais: bunda, peito, boca e coxas enormes e cabelo com chapinha!
    Conheço cada "diferente" tão maravilhoso!! É de envergonhar os lindinhos.
    Grande beijo, amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Taís.
      Pois é, conceito de beleza que na Áustria as pessoas são lindas (o que no meu ponto de vista não é verdade) é uma visão eurocentrica que nossa cultura, principalmente a sulista (sou do Sul, por isso falo com propriedade) é enraizada.
      Quando existem diversos tipos de beleza, para mim ela é muito relativa, como bem acentuou aqui em seu comentário.
      Infelizmente o que pesa neste mundo é a aparência e já fui vítima desses padrões que me deixaram sequelas sérias de saúde. Custou para que eu acordasse para a vida, mas um dia a gente acorda e pode ser tarde.
      Eu fico assustada com essa nova moda de ser o que chamam de "exuberante", a Andressa Urach (acho que é assim que escreve) está pagando um preço bem alto por isso.
      Também conheço "diferentes" maravilhosos, que envergonham o que a sociedade impões como "lindinhos".
      Beijos amiga querida e um ótimo fim de semana para ti!

      Excluir
    2. Correção de digitação ultramegapower rápida? impõe

      Excluir
  21. MI,estou seguindo você aqui também!

    Seu texto é absolutamente cativador, humano e emocionante!!!

    Parabéns.

    Que tal, dar um pulinho no "Como era fácil fazer sexo!" e tomar conhecimento de um "presentinho" que está sendo oferecido por lá?

    Combinado?

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, muito obrigada! :)))))
      Eu voltarei a seguir todos os teus blogs, me divirto e aprendo muito com eles, mas no post posterior a esse explico os motivos do meu "sumiço" da blogosfera.
      Combinadíssimo!
      Beijos.

      Excluir
  22. Uma passagem rápida apenas para desejar um excelente fim-de-semana.
    Um beijo
    MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

    PS – Te aguardo no próximo dia 24 para ver o meu novo post.

    Estive no "Coluna" antigo e fui "remetido" para aqui...
    Gostei deste novo espaço.
    Só pude ler o último post - de momento não renho muito tempo... mas apreciei muito o tema.
    E lembrou-me uma grande frase, há muito conhecida; a verdade está na boca das crianças.
    Assim é, de facto, pois os preconceitos não existem de nascença, são adquiridos.

    Já me fiz seguidor e já linkei este blog na lateral do meu.
    Mais um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "A verdade está na boca das crianças". Parece que é isso mesmo Miguel.
      Bem... seja bem-vindo! :))))
      E tempo escasso, acredite, eu sei o que é isso! rs.
      Pode me esperar que tornarei a visitar teu blog, segui-lo e também colocar em minha lateral. Obrigada por colocar o Rivotril na lateral do teu!
      Beijos. :))))))

      Excluir
  23. Olá, querida Mi
    Já havia visto o vídeo aqui ms só hoje venho comentar...
    Até que tenhamos alguém na família, não fazemos caso dos 'especiais'...
    Trabalhei os 7 primeiros anos do meu magistério com crianças assim e com adolescentes... Foi um tempo maravilhoso!!! Me chamavam de mãe na Pestalozzi... com tanto carinho... havia crianças rejeitadas por pais e de ótima condição financeira, inclusive... o carinho do olhar deles é inusitado...
    Como aprendi a viver!!!
    Até hoje eles não me saem da cabeça e do coração...
    Meu sobrinho é o compositor da música: Ser diferente é normal" (Vinícius Castro)...
    Não temos tantos preconceitos em família porque nossa família é MUITO grande e tem de quase tudo... rs...
    Bom Domingo!!!
    Bjm quaresmal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Roselia! :)
      Muitas vezes também sou assim, leio um post e só depois de dias me sinto apta a comentar.
      Poxa... Deve ser incrível trabalhar com essas crianças, eu ainda não tive essa oportunidade, mas é um caso a pensar no meu voluntariado.
      Eu fico pasma com a ignorância e, por que não dizer, insensibilidade destes pais. Eles é que perdem com isso e sequer se dão conta.
      Sério que o teu sobrinho que é o compositor da música "Ser diferente é normal?" Que show!!!!!
      Deve ser uma vivência e tanto ter uma família com todos os tipos de diversidade e com certeza é um grande motivo para se orgulhar.
      Só quem passa a viver como ou com as minorias, sabe o que é viver verdadeiramente a essência da vida.
      Beijos e boa semana minha querida.

      Excluir
  24. Olá, Mi,Boa tarde...vídeo emocionante que nos convida a refletir sobre diferenças...a criança sempre olha através das lentes de sua própria experiência e percepção - - portanto não há uma realidade externa definida , ainda mais , se não houver conhecimento e ideias transmitidas ... há de se ajudar a criança a chegar à melhor conclusão , pois se os pais são discriminadores dificilmente ajudarão os filhos a não ter preconceito, pois sempre servirão de modelo pela sua conduta e por aquilo que puderem transmitir , pois o preconceito e a discriminação são construídos/aprendidos nos pequenos detalhes vividos no dia a dia...
    sim,gostei do novo nome do Blog, espero que esteja tudo nos conformes, em sua vida fora e dentro da blogosfera, agradeço pelo carinho e pelas palavras , feliz semana, belos dias, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felisberto, boa noite!
      Eu também acredito que valores e, infelizmente, preconceitos se adquirem e a influência dos pais seja a principal causa. Como bem disse, as crianças não tem uma ideia definida e por isso muitas enxergam tudo com total pureza, muitos de nós deveríamos "voltar atrás" e aprender com elas. Pois temos muito a aprender (ou reaprender?) com elas.
      Há preconceito nos pequenos detalhes, realmente. Triste que a maioria das pessoas não consegue perceber isso e acaba "passando batido". Ou quem percebe e corrige, fica por chato.
      Obrigada! :)
      Tirando toda a correria e alguns contratempos, está tudo nos conformes, do jeito que dá para se virar. rs.
      Feliz fim de semana e belos dias para ti também.
      Beijos.

      Excluir
  25. Pois é. Preconceito é algo adquirido. Eu tenho muito medo de que meu filho seja preconceituoso. Eu não tenho tanto problema com isso, claro que sou falha e tenho que me vigiar constantemente, mas nem todo mundo na minha família pensa como eu, infelizmente.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lary, desculpe a demora em responder, ando bem enrolada aqui na blogosfera.
      Olha, eu entendo perfeitamente a tua preocupação, se eu tivesse filhos seria a mesma. Claro que somos todos falhos, porém, há gente que é intolerante ao extremo e muito difícil de lidar. Aliás, eu nem tento lidar! É perda de tempo, infelizmente...
      Quanto à influência da família, acredito que só irá afetar se tu não formar bem o caráter do teu filho e, duvido muito que isso acontecerá, portanto, tenha segurança na educação que dará a ele e tudo ficará bem. Ninguém poderá derrubá-lo.
      Beijos.

      Excluir
  26. Olá Mi!!!

    Tudo bem?! Há dias não venho por aqui... mas voltei e encontrei tanta coisa boa! Começando por essa postagem e a chamada para um assunto tão atual que é o preconceito. Realmente, como você disse ninguém nasce com preconceito, adquire ele. O vídeo me tocou, pois a reação dos pais evidencia o quanto nos condicionamos a paralisar diante do que é diferente. Não deveria ser assim, mas infelizmente é e é preciso muito trabalho para que as crianças de hoje não se transforme em adultos como esses do vídeo. Enfim, não os condeno, quem sou eu para isso, afinal, eles podem ter sido criados assim. Mas, fica a vontade de que sejamos melhores e tenhamos a capacidade de formar adultos melhores.

    Beijocas!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lidiane! Tudo ótimo graças a Deus! :))))
      Eu também não vou ao teu blog faz um bom tempo, no entanto, não é o único blog que ando afastada. Na real andei afastada de todos na blogosfera e preciso "tirar meus atrasos" por aqui. É sempre muito bom interagir com as pessoas, gosto muito.
      Eu também não condeno porque as pessoas são condicionadas a ter preconceito com o que é diferente, mas assim como você, também senti uma tristeza enorme ao me deparar com essa realidade em vídeo. Parece que impacta mais o que a gente no fundo, está cansada de saber.
      Que as crianças atualmente não sejam mais condicionadas assim, para isso precisamos de bons educadores.
      Beijos.

      Excluir

"Não compartilho meus pensamentos achando que vou mudar a cabeça de pessoas que pensam diferente. Compartilho meus pensamentos para mostrar às pessoas que já pensam como eu que elas não estão sozinhas". Autor desconhecido

"Ser feliz é saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta". Augusto Cury

É muito bom saber que gostou da postagem e irá comentar.
A moderação de comentários está ativada e tratarei de responder apenas o necessário, se houver.
Se tiver um blog, deixe a url no final do comentário para que possa encontrá-lo.
Comentários tais como ofensas, discriminação, divulgação de sorteios, de blogs ou que não tenham a ver com o conteúdo da postagem não serão publicados. Grata.

Mi F. Colmán

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Enquanto eu estiver por aqui e me for possível, escrever continuará sendo a medicação mais forte e a terapia mais eficaz para a minha sobrevivência". Mi F. Colmán

Quem ri por último, Rivotril

Quem ri por último, Rivotril
Mais um Rivotril. O restinho dos ratos gritando somem. O restinho das pombas macabras somem. O restinho dos corvos somem. Todos para longe. Lá vai a mulher que assusta. Tati Bernardi.