quarta-feira, 6 de maio de 2015

Flores e Intenções























Vanessa desceu no ponto de ônibus e não podia acreditar no que via.
- Flor, Bruno? Fala sério! Acha que compra mulher com uma flor? Vê se cresce, garoto!
Bruno não hesitou em retrucá-la:
- Estranho. Você vive vidas paralelas ou não está prestando atenção no que tenho em mãos. Não tenho apenas uma flor, tenho uma flor pronta para ser mantida. Não é isso que postou em seu Instagram há uma semana atrás?
Vanessa encolheu a testa, surpresa e confusa.
-Sim! - ele continuou - Eu presto a atenção no que escreve, acompanho teu blog, o que posta no Instagram... E dias atrás postou que flores só tinham valor quando plantadas, pois assim elas seriam cultivadas e poderiam se manter vivas. E que do mesmo jeito era o amor.
- Não acredito que anda me espionando nas redes sociais!
- Não, não ando te "espionando". Eu te acompanho. Assim são as pessoas que gostam de ti. Elas vão querer saber sobre o que posta, sente, pensa...
Vanessa respirou fundo. Pouco convencida. Achava aquilo tudo tão sem criatividade, tão cafona, tão clichê...
Em poucos minutos ouviu a buzina de um carro.
Era Leonardo com seu carro do ano vermelho.
- E aí? Bora tomar uma cerveja? - colocou a cabeça para fora da janela, chamando-a.
Leonardo sim era homem. Já passara dos trinta e era decidido. Não precisava de nenhuma "arma" para conquistar uma mulher. Ele sabia que não precisava e isso encantava Vanessa, que não pensou duas vezes antes de entrar no veículo, sem ao menos se despedir de Bruno.
Depois de umas geladas, Leonardo a conduziu para um dos cantos do bar onde os casais se reuniam e tinha pouca iluminação. Sem hesitar, já mostrou a que veio, explorando com as mãos todo o corpo de Vanessa e beijando-a com força.
Após um certo esforço, Vanessa conseguiu afastar sua boca e segurar suas duas mãos.
- Hey, pega leve... Calma. - pediu com certa manha, para não demonstrar seu desagrado da pressa.
- Quem disse que eu sou calmo? - rebateu imitando sua voz manhosa.
Vanessa fechou a cara e afastou-se.
- Quem você pensa que é?
- Hey, até um tempinho atrás você foi bem rápida. Qual é? Vai amarelar agora? 
- Rápida? Qual é digo eu Leonardo! O que é que tu pensa? Que só porque uma mulher aceita tomar umas cervejas contigo ela já está querendo sexo? 
- Está querendo o que, então? Vem ao bar com homem para que, então? Rezar?
- Cala a boca, cara! Eu vou embora. E não! - afastou-o com um leve empurrão. - Eu arrumo um táxi.
Leonardo simplesmente deixou-a partir. 
Por que investiria em uma garotinha cheia de frescuras? Como ela, havia outras muito melhores que poderiam oferecer o que ela não podia.
Dentro do táxi, limpando as lágrimas do rosto para que o taxista não percebesse, Vanessa pensava em Bruno e na situação de Leonardo, perguntando-se quem era o moleque, afinal?
Quanto a Bruno, não derramou nem uma lágrima. Guardou o vaso de flor amarela para entregar à mãe no domingo do Dia das Mães.
Não desistira de comprar e entregar outro. Só não era ainda o momento.
Desistira apenas de Vanessa.




Este conto é uma participação da BC - Botando a Cabeça para Funcionar, edição nº 8, da amiga Chica do blog Chica Brinca de Poesia.
Para conhecer e ler outras participações, clica no link

30 comentários:

  1. Oi Mi
    Que lindo conto
    Com certeza o desapontamento do Bruno teve um aspecto positivo, fê-lo crescer como pessoa. Nem sempre o que pensamos de uma pessoa corresponde ao que ela é na realidade
    Bela e criativa a sua participação
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracita, é bem por aí... Geralmente nos enganamos tanto com as pessoas, de como elas são na realidade!
      No caso do conto, tanto Bruno quanto Vanessa acabaram se enganando e, com certeza, como na vida real, ambos acabaram por aprender alguma coisa com isso.
      Fico feliz que tenha gostado.
      Beijos amiga. :)))))

      Excluir
  2. UAU! Que lindo! E que inspiração. Coisa nojenta esses como Leonardo que acham que podem tudo de cara! Tive pena do Bruno... Adorei ler! bjs,m obrigadão e teu link lá esta! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau! Que felicidade saber que tu gostou, Chica! \0/
      Também acho bem escrotos tipos como o Leonardo e infelizmente é o que mais têm.
      E eu adorei ler teu comentário, muito obrigada.
      Beijos.

      Excluir
  3. Oi Mi que lindo conto. Adorei,comecei a ler e não parei até o fim. Que pena que a Vanessa nao percebeu quem era o homem de verdade né? Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju! Que delícia ler isso!
      Saber que consegui "prender" o leitor do início ao fim é o objetivo de todo escritor. Aeeeeeeeeeeee! \0/
      Uma pena mesmo, para ela né? Ele com certeza vai encontrar alguém que o mereça. Pessoas de bom caráter raramente ficam sós.
      Beijos colega.

      Excluir
  4. Olá...
    Achei superinteressante a sua criatividade! Participou bem!!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Poxa!!! Arrasou! Parabéns!
    Adorei o conto!
    Lindo dia!
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Fã Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alê!
      Fico muito contente em ler isso! :)
      Uma linda semana para ti.
      Beijos.

      Excluir
  6. Mi,
    Amei o conto! Esses Leornados , hem!!!! Existem aos montes!!
    Mas, os Brunos sao especiais! Raros.
    Gostei muito do seu comentario no Blog; Vamos cuidar dos amigos sim!
    E que estejamos sempre presentes! Bjs e fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quis dizer, Leonardos.
      Mi,
      Voltei pra te dizer que adorei ver a sua participacao nessa BC da Chica!
      Bjs

      Excluir
    2. Mas não é? Acabei de dizer isso acima, hahahahaha!
      Esses escrotos não se emendam!
      Brunos são raríssimos, se tiver um para me apresentar, ficarei agradecida! Parece que é pura ficção, hehehe.
      Muito obrigada, minha amiga.
      Todas as opiniões são importantes, mas com certeza a das amigas valem muito mais! ;)
      Beijos e fique com Deus sempre!

      Excluir
  7. Que bela surpresa a sua volta querida Mi.
    Li seu belo comentário e sei que você sabe que as dificuldades existem, mas que você com certeza vai atropela-las com sua dedicação. Passamos por esta fase e sabemos o quanto desgasta esta preparação,tensão pré-vestibular.Mas é certo que a vitoria vai lhe coroar.
    Bem aqui uma obra bela da arte de contar e ainda mais sobre o cotidiano e costumes de uma geração, que as vezes pensa levar tudo no peito e crê no poder que não lhe foram conferido. É assim no seu conto com palavras próprias contextualizou belamente estas questões tão corriqueiras da juventude. Personagens muito bem criados que faz a leitura ser gostosa.
    Parabéns Mi pela volta gloriosa já participando desta BC onde a cabeça nos leva a viajar e assim criar coisas belas.
    Eu gostei.
    Carinhoso abraço de muita paz e luz.
    Pra cima do vestibular que estou na torcida.
    Beijos de paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toninho! Adoro ler teus comentários meu amigo, mas isso não é novidade para ninguém, né? rsrsrs.
      Adorei o jeito com que descreveu e a leitura própria que fez do meu conto.
      Muito obrigada! Fico fascinada quando um leitor para e analisa tudo o que escrevemos, cada detalhe. É o máximo isso. Fico muito grata, Toninho.
      E fico muito grata também pela torcida, porque olha, dá para resumir em duas palavras: É Tenso!
      Beijos, muita paz e luz na tua caminhada também.

      Excluir
  8. Parabéns Mi !!! Bela inspiração .Adorei o conto pena Leonardos existem aos montes e poucos Brunos.Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Arlete!
      Pois é, infelizmente os Brunos vão continuar povoando só a ficção pelo visto! hahahaha!
      Ninguém merece esses Leonardos...
      Beijos.

      Excluir
  9. Oi Mi, um conto bastante atual onde há muitos Leonardos e Vanessas, já Brunos estão entrando em extinção! rs
    Parabéns pela bela participação!

    Beijo grande! =)
    Vivendo e Aprendendo
    Fotos e Prosas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Silene, há quanto tempo!
      Tua presença aqui me fez cair em mim que deve haver mais participantes a serem visitados nessa BC.
      Brunos existem? rsrsrs.
      Beijos.

      Excluir
  10. Uma participação diferente, mas muito bela e inspirada!
    Adorei o conto!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Ailime, se tu me conhecesse melhor saberia que "diferente" é minha característica, rs.
      Muito obrigada, fico feliz que tenha gostado.
      Beijos.

      Excluir
  11. Bom dia Mi!

    Que belo conto e certeiro! Quantas vezes não valorizamos o simples, o que é verdadeiro e natural e nos entregamos ao artificial, ao supérfluo e damos de cara com o vazio, a tristeza. Mas acho que nunca é tarde para nos redimirmos e de fato darmos importância ao que ou quem realmente tem seu valor.

    Parabéns pela participação!

    Beijos grandes,

    Tê e Maria...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Tê e Maria.
      Sejam bem-vindas ao Rivotril com Coca-Cola. :))))
      Eu sou como vocês, também acredito cegamente na redenção. Talvez estejamos erradas, mas pelo menos não corremos o risco de sermos injustas.
      Muito obrigada e voltem mais vezes!
      Beijos.

      Excluir
  12. Mi, gostei do seu conto. Reflete ua situação que se ve costumeiramente em nossa sociedade. E como também as pessoas deixam passar as oportunidades, porque não estão ligadas ao essencial, mas sim, no ilusório. Perdem-se amores, pessoas, amizades....por muito pouco. E as vezes, por causa do superficial, fazemos escolhas das quais certamente nos arrependemos mais tarde. Mas o importante é aprender com tudo isso.Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não é, Renato? O que mais se vê são pessoas se enganando, deixando o certo pelo duvidoso, correndo atrás de ilusões. E acabam perdendo grandes oportunidades de serem e fazerem os demais felizes e claro, isso diz MUITO a respeito de amizades!
      Eu já fiz muitas escolhas erradas, assumo publicamente sem medo de ser feliz e julgada. rs. Porque é assim mesmo, a vida é uma sucessão de erros e acertos o importante é aprendermos sempre com tudo.
      Beijos amigo e muito obrigada pela visita. Volte mais vezes. :))))

      Excluir
    2. Faltou uma vírgula aí depois dos acertos, mas enfim... rs.

      Excluir
  13. Usando o palavreado atual...
    Qual é, mano? Vai chegando assim pensando ser o dono da boate?
    Mas é isso, Mi, você explorou a forma fugaz e fria dos relacionamentos atuais: chegou vai mandando!
    E depois um tchau, Valeu, mina! Credo. Sem um pingo de romantismo, de respeito! Essa foi minha visão do "quadro".
    Mi, você conseguiu despertar raiva! rsss Fiquei louca pra armar um barraco.Você consegue nos inserir no meio da bagunça, eu, que não tenho nada com isso! rssss
    Beleza, amiga! Sempre passo, mas esse não tinha visto!
    Beijo grande!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha! E não é, amiga? O que mais tem na vida são os Leonardos... Tua visão do quadro foi a mais realista possível, infelizmente. rsrsrs.
      Mas que show que eu consegui despertar raiva num conto tão curto! Foi algo que criei em poucos minutos para não ficar de fora da BC da Chica e acabou dando certo! Pode armar o barraco o quanto quiser! :P
      Eu também passei por alguns posts antigos teus quando fui comentar o da panela de pressão, mas só comento quando posso parar e me concentrar tanto na leitura quanto o que vou deixar para a blogueira. Comentar por comentar não é a minha e vejo que não é a sua também.
      Como disse a amiga Dri em outro post, que como nós, também responde aos comentários, fico ansiosa por ler a resposta. Adoro o feedback que recebo das blogueiras, o teu feedback mesmo eu sempre corro para ler e antes que eu pudesse te indicar este conto, tu passou na frente. :3
      Beijos amiga. :))))

      Excluir
  14. E essa Vanessa, viu?Ainda bem que não sou eu! Heeehehhe
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca! É verdade! Mas pode ficar tranquila que não me inspirei em ti para criar esta personagem viu? hahahahaha!
      Beijos.

      Excluir

"Não compartilho meus pensamentos achando que vou mudar a cabeça de pessoas que pensam diferente. Compartilho meus pensamentos para mostrar às pessoas que já pensam como eu que elas não estão sozinhas". Autor desconhecido

"Ser feliz é saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta". Augusto Cury

É muito bom saber que gostou da postagem e irá comentar.
A moderação de comentários está ativada e tratarei de responder apenas o necessário, se houver.
Se tiver um blog, deixe a url no final do comentário para que possa encontrá-lo.
Comentários tais como ofensas, discriminação, divulgação de sorteios, de blogs ou que não tenham a ver com o conteúdo da postagem não serão publicados. Grata.

Mi F. Colmán

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Enquanto eu estiver por aqui e me for possível, escrever continuará sendo a medicação mais forte e a terapia mais eficaz para a minha sobrevivência". Mi F. Colmán

Quem ri por último, Rivotril

Quem ri por último, Rivotril
Mais um Rivotril. O restinho dos ratos gritando somem. O restinho das pombas macabras somem. O restinho dos corvos somem. Todos para longe. Lá vai a mulher que assusta. Tati Bernardi.