domingo, 7 de junho de 2015

Eu Assisti - Amor Sem Fim























Nota: Não contém spoiler. E se tivesse, de qualquer forma eu não recomendaria mesmo.

É certo que não sou a pessoa adequada para recomendar romances, assim como é muito certo que não sou blogueira resenhista pró. Porém, contudo, entretanto... Como me peguei em uma madrugada ociosa (por demais!) assistindo um filminho mamão com açúcar (nada como um "romance" com zumbis como Meu Namorado é um Zumbi) ou "mela cueca", como costumo chamar (não me perguntem o porquê) resolvi dividir com vocês algumas impressões sobre Amor Sem Fim.



Mas COMO você não gostou de Amor Sem Fim??? Recebi uma indagação estupefata de quem assistiu o de 1981. Sim, acabei por descobrir que tinha assistido um remake e, como remakes costumam ser péssimos, não posso fazer um comparativo com o original.
SE o roteiro foi seguido à risca (tenho a forte impressão de que sim) trata-se de uma estorinha insossa que não convence. Pelo menos para os tempos atuais, sabe, com a chegada do Whatsapp e coisa e tal...
A trama gira em torno de uma garotinha inocente (é, no filme isso existe) que tem a vida toda programada pelo pai e se apaixona por um cara que cultiva um amor platônico por ela há mais de anos (oi?) Ele é pobre, ela rica (aquela coisa banal ever!), o "primeiro encontro" entre eles é aquele negócio de trecos caindo ao chão e cruzada de olhares (aquela coisa banal ever!) e, enfim, o amor. 
Ah, o amor! O primeiro amor, uma mãe deslumbrada com isso, um pai puto da cara com isso e um dramalhão daqueles! Até polícia se envolve no meio! O.o
Para não dizer que só falei mal, curti o fato do cara ter um passado obscuro. Isto ficou bem atraente e acho que para a época deve ter sido muito mais impactante.
E é este o real problema do remake de Amor Sem Fim. Como disse, a fábula de amorzinho proibido, platonismo, primeiro amor, todo aquele exagero não bate com os nossos tempos de Facebook e Whatsapp. O filme é uma ótima produção, mas a superficialidade exala no ar, o conflito de gerações não deixou-o ficar convincente.
Estranho que assisti a um vídeo com alguns trechos do original e, além do casal ser indiscutivelmente muito mais belo, ouvindo a trilha sonora, deu meio que para "sentir um pouco" a atmosfera da estória. Tipo, você sente que tem a ver o roteiro com a época, a ambientação.


















Mas querer empurrar goela abaixo um roteiro de mais de 30 anos em um ambiente atual é fazer o espectador se sentir um idiota fora da casinha. Porque foi exatamente assim que me senti assistindo Amor Sem Fim. As palavras que me vinham à boca enquanto a trama desenrolava e diante de várias atitudes dos personagens foram: "Como?", "Oi?", "Para!"
Amor Sem Fim é o maior exemplo de que alguns roteiros nunca devem ser revistos e, se forem, não podem ser seguidos à risca e precisam de uma boa adaptação SIM!
Minha impressão sincera em uma única palavra? 
Medonho.


Mi F. Colmán



21 comentários:

  1. Oi Mi, obrigado pela resenha rsrsrsrsrsr. Me poupou o trabalho de assistí-lo. Sou muito adepto daquela frase" o passado se repete como farsa". Acho que isso acontece em vários aspectos da vida. Vejo em muitas destas situações pessoas tentando "reviver"situações do passado, mas no fundo acabam sendo apenas cópias de si mesmo ou de outros.....Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renato, como eu não leio resenha de nada (só se por ventura algum colega ou amigx blogueix postar, o que raramente acontece aqui no meu círculo blogosférico) não fui poupada de assistir esse filminho tosco, huahuahauahauhaua!
      Adorei a frase, não a conhecia. É bem isso. Descreve totalmente esse remake.
      E já há boatos que vão fazer remake de Entrevista com o Vampiro (my God, não quero estar viva para ver isso!), tenho pânico porque todos costumam ser péssimos.
      Já me aconselharam a procurar o original de Amor Sem Fim, mas... acho que não... rsrsrs. Já foi suficiente issoae. Não curto filmes de romance anyway.
      Sobre ficar "revivendo" situações do passado, acredito que o resultado na vida real seja bem... Amor Sem Fim! hahahahaha!
      Beijos amigo. Um ótimo domingo para ti!

      Excluir
  2. Oi Mi
    Você me poupou o desastre de assisti-lo. Remakes nunca são bons. Se adaptados à realidade pode até se tornar uma fita interessante. O mesmo acontece quando tentamos uma volta ao passado. Nos damos conta que somos um estranho no ninho. Somos imperfeitos para o local e a época. E como você resenhou a resenha está muito aquém da realidade atual
    Amiga, obrigada pelas suas palavras de grande valor lá meu blog.
    Raramente escrevo texto em prosa. Já me aventurei neste gênero escrevendo histórias para crianças. Afinal sou uma educadora e vivo rodeada por esses pequeninos seres cheios de vivacidade
    Um domingo feliz e abençoado
    Beijos e um sorriso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então eu te poupei de um desastre? huahuahauahauahau!
      Ah amiga, pior que é a mais pura verdade, o filme é totalmente desastroso e fora de contexto.
      Eu afirmei aqui que remakes são péssimos, porém, acabei de postar na minha estreia na BC Junina a música de um remake que gostei muuito, que foi o remake de 2011 do Footloose. Claro que não se pode comparar a atuação do Kevin Bacon que foi única e até hoje é um clássico, porém, os produtores do filme adaptaram super bem à nossa época sem alterar muito o roteiro. Tiveram o dom e a sensibilidade de atualizar com muita competência. Se ainda não assistiu, super recomendo. Mas é o único remake bom que me veio à mente agora. rs. Remakes são, em geral, péssimos mesmo, vamos combinar!
      Trazer de volta ao passado algumas coisas, só se forem modificadas e muito bem adequadas como ocorreu em Footloose, do contrário, fica muito, muuuuito medonho.
      Não precisa agradecer, não sou de bajular e todos os elogios que dispenso livremente são sinceros, pode acreditar.
      Admiro demais os educadores pela paciência com crianças, o trabalho de vocês deveria ter uma remuneração mastermegapower!
      Uma semana feliz e abençoada minha querida amiga.
      Beijos. :))))))

      Excluir
  3. rssss...Valeu o aviso,Mi! Tem coisas que é muito melhor deixar como estão e não mexer, ou então, saber adaptar! bjs, tudo de bom ,chica
    Adorei tua resposta lá ,respondi ,mas trago aqui:Mi, eu sempre quis voar num deles. Aqui em Torres no balonismo foi por muito pouuuuuco que não andei.; mas quem sabe ainda consiga,rs bjs, obrigadão! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada amiga, estamos aqui para isso! hahahaha!
      Evitar maiores desastres, como bem ressaltou nossa amiga Gracita.
      Eu vejo que há roteiros que não tem como mexer, ficaram no passado e a beleza deles está nisso. Já há roteiros que podem ser muito bem adaptados à nossa realidade atual sem muita alteração, mas com maestria, como aconteceu com Footloose de 2011. Com certeza, deve haver alguns haters da época do Kevin Bacon que jamais irão aceitar, mas há de se reconhecer que foi uma revisão muito bem feita, com uma produção e elenco impecáveis.
      Sério que compartilhamos do mesmo sonho???? Uau! Achei que eu era a única que "viajava" com a ideia. Tenho maior vontade de subir num balão, quem sabe um dia não realizamos esse sonho doido né? Beijos e uma ótima semana Chica!

      Excluir
  4. Olá Mi. Pois é..... por fugir totalmente da realidade o filme tornou-se obsoleto fazendo com que se perca a essência da história. Valeu Mi pela sua presença marcante e sempre bem vinda no meu blog. Agradeço suas palavras carinhosas na arte do cuidar. Abraços e uma grande semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obsoleto! Essa é a palavra Eliene! Foi exatamente isso que aconteceu com Amor Sem Fim. O roteiro ficou obsoleto e não souberam adaptar à atualidade, o que culminou em uma catástrofe cinematográfica.
      Ah, muito obrigada, eu que agradeço por tamanho carinho. Não tem nada que me agradecer não.
      Beijos e uma grande semana para ti também! :)

      Excluir
  5. Só depois que vi Brookie Shields (não sei se é assim que se escreve), me lembrei do filme. Aquele em que a casa pega fogo, não é?
    Não gosto muito de filmes romance. Acho pedante demais. Vez ou outra tudo bem, mas não me interesso. Gosto de ação, violência, armas de fogo, bombas, lutas, menos terror.
    Acho que vc tem razão, alguns filmes daqueles idos anos 80 não se encaixariam hoje. Teriam que modificar todo o roteiro e isso perderia a essência da história. Não assisti esse e provavelmente não assistirei.
    Tô aqui escrevendo e ouvindo Duro de Matar na TV. Adoro!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clara, eu não queria soltar spoiler, mas já que tu soltou, hahahahaha! É isso mesmo, a casa pega fogo, umas cenas bem nonsense. Não rola não.
      Na real eu não gosto nem um pouco de filmes de romance, vários poucos casos onde há uma característica marcante (como foi do meu querido Meu Namorado é um Zumbi), mas em geral também não são filmes que me prendem.
      São aqueles que, como disse uma amiga, a gente levanta para mijar, tomar uma água, preparar um lanche... hahahahaha!
      Então tu assistiu o original é? Mas como é como eu que não curte romance, acho que nós duas não somos referenciais.
      Também curto filmes do mesmo estilo que o teu, porém, os de terror são meus favoritos, muahuhauhauhauahuahaua!
      Beijos Clara!

      Excluir
  6. gostei de sua sinceridade,amiga!
    É preciso reciclar,transformar,
    não podemos viver o mesmo amor do século passado!
    O Amor não muda na essência, mas todo o contexto é preciso de mudança constante!
    Bjus e linda semana!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elyane, se eu não fosse sincera e fizesse meus colegas e amigas assistirem a essa decadência da Sétima Arte, com certeza perderia meus parsas, hahahahahaha!
      Ficou muito esquisito, um amor do século passado invadindo como em uma máquina do tempo para os dias atuais, com a mesma mentalidade de outrora, foi uma coisa medonha demais.
      Beijos e uma linda semana para ti também.

      Excluir
  7. Oi linda, eu assisti o de 1981 e como não sou fã de remakes, aqui já vi que não perderia muita coisa !
    Beijos U&B
    Adriana e Cláudia
    www.unhasebocas.blogspot.com.br
    Instagram @blogunhasebocas
    https://www.facebook.com/pages/Unhasbocas/477832645611169?fref=ts

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Sejam bem-vindas!
      Você só não esclareceu se curtiu o original ou não.
      O remake te garanto: não vale a pena.
      Beijos e obrigada pela visita.

      Excluir
    2. Correçãozinha básica: "vocês não esclareceram". Distraí que estava falando com duas gurias ao mesmo tempo. Foi mal.

      Excluir
  8. Olá,Mi, o que é filminho "mela cueca"hehehe,#brincs ...bem, confesso que não faz muito meu gênero, filmes onde os clichês estão presentes em todos os segundos, portanto,não assisti o original , que diga se de passagem,foi considerado um péssimo filme ,apesar do Cruise e da Brooke, e se a refilmagem não passa de um roteiro de mais de 30 anos em um ambiente atual = com certeza, protagonistas devem trocar mensagens de textos=certeza que não irei assistir , ainda mais se mantiveram os clichês, fiel ao original...valeu pela resenha ...
    ... li um pouco sobre o Grigory Grabovoy, engenheiro matemático com clarividência, por isso não tenho nem como te responder sobre, mas, o bloqueio efetuado , na rede, creio ter sido pertinente, à partir do momento em que há ofensas pessoais , é aquela falsa sensação de anonimato que parece estimular a publicarem conteúdo ofensivo ...
    problogger ou blogueiro profissional...
    no mais,é aquilo, por vezes, pensamos que conseguimos passar a mensagem que queremos e não conseguimos,por isso,há de se fazer uma outra,explicando..apesar que ,muitos só entendem o que querem...
    Agradecido pelo carinho,belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei lá por que eu dei esse apelido a estes tipos de filmes Felisberto. Acho que é por serem melosos, mas muita gente leva para o outro lado, mas de excitantes eles não têm nada! huahuahauahauhaua!
      Sério que o original foi considerado péssimo? Cacete! Então o roteiro foi muuuuito fiel mesmo, taquepareo! O.o. huahuahauhaua!
      Então, me disseram que o Tom Cruise participou, mas ele deve ter sido um coadjuvante né? Porque o cara que tá com a mina da Lagoa Azul não é ele de jeito nenhum!
      Noooossa! Parece que tu assistiu ao remake. Bem isso, eles trocam mensagens na maior modernidade com um vocabulário Romeu e Julieta mal acabado! Horrível! Como insisto em dizer, não convence de jeito nenhum, totalmente fora de foco.
      Sobre o Grabovoi, sabe, eu não tenho nada, absolutamente nada contra mesmo quem quer acreditar naquilo depois de tudo o que aconteceu. O que realmente critiquei no post foi as pessoas estarem agindo como robôs "ativando, recebendo, merecendo" e sei lá mais o quê sem contestarem nada. Tudo deve ser contestado e questionado. Sou cristã, mas ainda assim, quando vejo algo estranho ou que acho diferente, contesto TUDO! Os pastores ficam loucos comigo, pode crê.
      Eu tive que bloquear o cara, ele estava totalmente robótico (como quase todos os atuais seguidores de Grabovoi) e praticou psicofobia comigo, agrediu a minha pessoa, não as minhas ideias. De boa, dou a melhor liberdade para que critiquem minhas ideias, a moderação está aí para evitar esse tipo de coisa que ocorreu no Google Plus, mas ideias coerentes e contrárias serão todas publicadas. Eu e Samuel mesmo, temos pontos diferentes de vista muito grandes, um discorda do outro o tempo todo e não o censuro, porque ele não me ataca e vice-versa. Debatemos ideias diferentes. Nunca chegamos a um consenso, mas pelo menos a gente não se mata, hahahahaha!
      Entendi, problogger é, em português claro, blogueiro que usa o blog como trabalho, para faturar. Nada contra, desde que tenha conteúdo para tal.
      Acho super cansativo isso de fazer post para explicar um outro post, rolava demais na Coluna, me desgastou. Agora, que entendam o que quiser e se der para a gente se acertar nos comentários de boa, senão, tchau e benção. Não quero me estressar mais com coisas que geralmente são tão pequenas.
      No final é isso aí mesmo, todo mundo só entende o que lhe convém.
      Obrigada pelo carinho, pelas visitas e comentários.
      Belos dias para ti também! :))))
      Beijos.

      Excluir
  9. Ola!!!Ainda nao assisti, mas a dica foi muito boa!!!Nao gosto de filmes bobinhos.......rrss!Valeu!!!Obrigada pelo carinho.Retornarei para seguir o seu blog, que alias, e muito lindo e agradavel.Neste momento,uso o tablet e por ele, nao consigo visualizar o menu de acesso.Me aguarde.Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Adeladia! Seja muito bem-vinda ao Rivotril com Coca-Cola! :))))
      Estou muito feliz com tua visita, mesmo!
      A dica para não assistir foi boa né? hahahahaha! Também detesto filmes bobinhos, mas a ociosidade era grande naquela madrugada. hehehe.
      Aguardarei sim, saiba que tua presença aqui já é importante para mim.
      Beijos.

      Excluir
  10. Nossa! Eu não sou muito fã de filmes, para eu assistir tem que prender muito minha atenção, até gosto de alguns romances, mas esses que nós estamos assistindo e já sabemos o que vai acontecer, eu desisto de assistir na hora...

    ::Blog Gothic Owl::
    gothicowl.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gothic. Temos algo em comum... parece. rs.
      Olha, por mais podre que um livro ou filme seja, eu acabo insistindo até o final por dois motivos.
      Um: é o meu otimismo da coisa com o tempo poder melhorar.
      Dois: Quando percebo que não vai melhorar, quero ver até que ponto de escrotice o ser humano pode chegar, hahahaha!
      Mas de boa, 50 tons não passei da metade do livro, esse superou o meu nível suportável de tosquices.
      Beijos.

      Excluir

"Não compartilho meus pensamentos achando que vou mudar a cabeça de pessoas que pensam diferente. Compartilho meus pensamentos para mostrar às pessoas que já pensam como eu que elas não estão sozinhas". Autor desconhecido

"Ser feliz é saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta". Augusto Cury

É muito bom saber que gostou da postagem e irá comentar.
A moderação de comentários está ativada e tratarei de responder apenas o necessário, se houver.
Se tiver um blog, deixe a url no final do comentário para que possa encontrá-lo.
Comentários tais como ofensas, discriminação, divulgação de sorteios, de blogs ou que não tenham a ver com o conteúdo da postagem não serão publicados. Grata.

Mi F. Colmán

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"Enquanto eu estiver por aqui e me for possível, escrever continuará sendo a medicação mais forte e a terapia mais eficaz para a minha sobrevivência". Mi F. Colmán

Quem ri por último, Rivotril

Quem ri por último, Rivotril
Mais um Rivotril. O restinho dos ratos gritando somem. O restinho das pombas macabras somem. O restinho dos corvos somem. Todos para longe. Lá vai a mulher que assusta. Tati Bernardi.